Cabeçalho modalidadesO GD Direito, actual campeão nacional, deslocou-se a Espanha, Valladolid, para disputar o troféu ibérico com o El Salvador, campeão espanhol em título. Com quatro taças para cada lado antes do soar do apito, o vencedor deste jogo seria, automaticamente, o clube com mais títulos ibéricos conquistados – estava dado o mote para tão atractiva competição.

Os lisboetas entraram melhor na partida e, duas penalidades de Nuno Sousa Guedes colocavam o resultado em 6-0, ao quarto de hora de jogo. Os espanhóis reagiram, exploraram os pontos fracos do GD Direito e passaram para a frente de jogo com uma penalidade, um ensaio e uma transformação em poucos minutos. O GD Direito jogava bem, mas descurava nos pormenores; os homens de El Salvador aproveitavam. Ainda antes do final da primeira parte, Nuno Sousa Guedes, de pontaria afinada, convertia mais duas penalidades, às quais os espanhóis responderam com um drop, e a equipa de Lisboa ia para o intervalo a perder por apenas um ponto (13-12).

À entrada para a segunda parte, a equipa espanhola apresentou-se mais pressionante, mas os Advogados nunca baixaram os braços e, foi através duma jogada de grande classe entre Luís Sousa e Pedro Silvério que Salvador Palha conseguiu o toque de meta. Ensaio para os homens de Francisco Aguiar, com nova conversão de Nuno Sousa Guedes e estava feita a reviravolta no marcador: 19-13! O jogo era, então, dominado pelo GD Direito, que ia efectuando boas jogadas nos últimos metros de terreno.

Nuno Sousa Guedes foi o melhor jogador dos Advogados Fonte: Luís Coelho
Nuno Sousa Guedes foi o melhor jogador dos Advogados
Fonte: Luís Cabelo

A vinte minutos do fim, Nuno Sousa Guedes (sempre ele!) convertia mais uma penalidade e o jogo parecia confortável para os visitantes, com a equipa da casa a mostrar alguma falta de acerto defensivo. Pouco depois, uma falta dos lisboetas numa formação ordenada viria a alterar o rumo do jogo: aos cinco pontos por ensaio de penalidade concedidos pelo árbitro, somava-se o acalentar da esperança por parte da equipa de Valladolid, que se superiorizou e, ao fim de algumas investidas, marcou novo ensaio na partida. Apesar de ter mais posse de bola e oportunidade para revirar novamente o resultado, a verdade é que os atletas do GD Direito não conseguiram reagir perante o ímpeto espanhol, e o resultado final não viria a sofrer novas alterações: 27-22, El Salvador é o novo campeão ibérico!

Os campeões portugueses até jogaram melhor, tiveram mais posse de bola e controlaram grande parte do jogo, mas a falta de acerto nalguns momentos-chave (as formações ordenadas foram desastrosas) ditaram a derrota lusa.

Anúncio Publicitário

Foto de capa: Tribuna Valladolid

Artigo revisto por: Francisca Carvalho