A CRÓNICA: BOA PRIMEIRA PARTE NÃO FOI SUFICIENTE PARA VENCER A GEÓRGIA

Primeira parte bastante equilibrada, talvez até com mais pendor para Portugal. Por um lado, a Geórgia soube tirar partido da fisicalidade do seu jogo, chegando por duas vezes ao ensaio, por meio de Miriani Madebadze e Jaba Bregvadze. Duas jogadas algo semelhantes, com o poderio do pack georgiano no maul a fazer a diferença. Por outro lado, os lobos conseguiram ter mais bola e terreno.

Já no fim dos primeiros quarenta minutos, Rodrigo Marta fez o ensaio de Portugal, após uma excelente jogada da linha de três quartos. Os portugueses tinham vantagem de 13-10 ao intervalo, vantagem essa que poderia ter sido bem mais expressiva, face à boa atuação dos lobos.

Anúncio Publicitário

Já nos segundos quarenta minutos, a Geórgia assumiu o controlo do jogo. A receita não mudou: a força dos avançados voltou a fazer a diferença. Dos três ensaios georgianos da segunda parte, apenas um não surgiu de um maul. Além do mais, o número de penalidades cometidas por Portugal foi aumentando, culminando com o cartão amarelo mostrado a Tomás Appleton.

Assim sendo, a Geórgia ia conseguindo colocar a defesa portuguesa sob forte pressão e ia conseguindo marcar ensaios, dois seles da autoria de Giorgi Melikidze e Shalva Mamukashvili. Ao cair do pano, Tornike Jalagonia selou o resultado em 16-29.

 

A FIGURA

Fonte: Sebastião Roxo/Bola Na Rede

Tornike Jalagonia – Impressionante a exibição deste número 8. Poderoso com a bola em seu poder e exímio na placagem, além do turnover e do ensaio marcado já no final do jogo.

O FORA DE JOGO

Fonte: Sebastião Roxo/Bola Na Rede

Defesa do maul e formação ordenada – O pack avançado luso mostrou muitas dificuldades em conter o adversário nestes capítulos do jogo. Dois aspetos a melhorar para vencer a Roménia, já no próximo fim de semana.

 

ANÁLISE TÁTICA – PORTUGAL

Boa primeira parte por parte dos lobos. Portugal foi mais eficiente na gestão da bola e conseguiu ter bastante território. Não obstante, Portugal desperdiçou uma clara oportunidade de ensaio e falhou na conversão de múltiplos pontapés aos postes. Além do mais, a capacidade de segurar a bola foi essencial para colocar a linha defensiva adversária sob pressão e conquistar diversas penalidades.

A segunda parte foi algo cinzenta, na medida em que o conjunto luso praticamente não teve bola e limitou-se a defender no seu meio campo. Os três quartos tiveram pouca posse e o domínio georgiano nos avançados foi-se acentuando.

15 INICIAL E PONTUAÇÕES

  1. Geoffrey Moise (5)
  2. Mike Tadjer (5)
  3. Diogo Hasse Ferreira (5)
  4. Rafael Simões (5)
  5. José Andrade (6)
  6. João Granate (5)
  7. José Madeira (6)
  8. Luigi Dias (5)
  9. Samuel Marques (7)
  10. Jerónimo Portela (5)
  11. Rodrigo Marta (7)
  12. Tomás Appleton (5)
  13. José Lima (5)
  14. Rafaelle Storti (6)
  15. Dany Antunes (6)

SUBS UTILIZADOS

16. David Costa (-)

17. Nuno Mascarenhas (-)

18. Thibault de Sousa (-)

19. Francisco Sousa (5)

20. Eric dos Santos (-)

21. Theo Entraigues (-)

22. Jorge Abecasis (-)

23. Nuno Sousa Guedes (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – GEÓRGIA

Numa primeira parte pouco conseguida, os georgianos foram altamente eficazes: nas duas oportunidades de que dispuseram, marcaram dois ensaios. Ainda assim, mostraram-se muito faltosos, sobretudo ao abordar o breakdown.

Nos segundos quarenta minutos, a situação reverteu-se. Muita bola e território foram sinónimo de domínio. Os georgianos apresentaram um jogo muito curto e extremamente físico que, apesar de eficaz, evidenciou algumas lacunas, sobretudo no aspeto mais técnico e na qualidade de circulação de bola (a linha de três quartos teve muito desaparecida, tirando uma saída de bola fantástica dos seus 22 metros, ainda no primeiro tempo). Ainda assim, o domínio dos seus avançados permitiu somar a primeira vitória nesta jornada inaugural do Rugby Championship.

15 INICIAL E PONTUAÇÕES

  1. Guram Gogichashvili (6)
  2. Jaba Bregvadze (7)
  3. Giorgi Melijidze (7)
  4. Lasha Jaiani (6)
  5. Nodar Cheishvili (6)
  6. Giorgi Tkhilaishvili (5)
  7. Beka Saghinadze (7)
  8. Tornike Jalagonia (8)
  9. Gela Aprasidze (6)
  10. Lasha Khamaladze (5)
  11. Alexander Todua (5)
  12. Merab Sharikadze (6)
  13. Giorgi Kveseladze (6)
  14. Miriani Madebadze (6)
  15.  Soso Matiashvili (6)

SUBS UTILIZADOS

  1. Shalva Mamaukashvili (7)
  2. Beka Gigashvili (6)
  3. Gia Kharaishvili (6)
  4. Davit Gigauri (-)
  5. Irakli Tskhadadze (-)
  6. Mikheil Alania (-)
  7. Mikheili Babunashvili (-)
  8. Demur Tapladze (-)

Foto de Capa: Sebastião Roxo/Bola Na Rede

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome