A seleção portuguesa de rugby venceu, este sábado, a Polónia e conquistou, pelo segundo ano consecutivo, o Rugby Europe Trophy. Os Lobos terminaram o torneio com um percurso 100% vitorioso, pois já tinham batido a República Checa (45-12), a Holanda (36-12), a Suíça (31-17) e a Moldávia (29-10).

A jogar num país onde nunca tinha triunfado, Portugal sentiu dificuldades para bater o penúltimo classificado, mas um ensaio marcado por Rodrigo Freudenthal nos minutos finais do desafio, permitiu, à seleção comandada por Martim Aguiar, vencer a Polónia por 27-25. Com esta vitória os Lobos garantiram o play-off de acesso à primeira divisão europeia.

A precisar apenas de somar o ponto de bónus defensivo (derrota inferior a 8 pontos) para garantir a vitória na competição, Portugal concedeu o primeiro ensaio do jogo, começando a perder por 7-0. Os Lobos responderam com uma penalidade concretizada por José Rodrigues, um ensaio de Salvador Vassalo e respetiva conversão de José Rodrigues, mas possibilitaram a reviravolta da seleção anfitriã antes do intervalo (13-10).

Filipe Monte – Fotografia

O início da segunda parte revelou-se desastroso para Portugal, que permitiu à Polónia atingir uma vantagem de 15 pontos (25-10). Nos minutos seguintes, um ensaio de Manuel Queirós recolocava a seleção nacional na luta pela vitória e apuramento do play-off. Pouco tempo depois, Tomás Appleton, conseguia um novo ensaio. Desta vez, a conversão fora de Nuno Sousa Guedes, deixando a seleção nacional a três pontos dos anfitriões.

Apesar da fraca exibição, Portugal consumou a reviravolta no último lance do jogo disputado em Lodz, e ultrapassou a Holanda na liderança do Rugby Europe Trophy, o segundo escalão europeu.

Anúncio Publicitário

No play-off, a seleção portuguesa irá defrontar a Alemanha, última classificada da primeira divisão, com seis derrotas em outros tantos jogos, na expectativa de melhorar o resultado da época passada. Recorde-se que os Lobos foram derrotados pela Bélgica, o ano passado, no jogo de acesso ao escalão principal.

XV de Portugal:
1 – Bruno Medeiros; 2 – João Corte-Real; 3 – Francisco Bruno; 4 – Manuel Picão; 5 – Gonçalo Uva; 6 – Salvador Vassalo (5); 7 – Sebastião Villax; 8 – João Lino ©; 9 – Manuel Queirós (5); 10 – Jorge Abecasis; 11 – Tomás Appleton (5); 12 – José Rodrigues (3+2); 13 – Manuel Vilela; 14 – Rodrigo Freudenthal (5); 15 – Nuno Sousa Guedes (2+2).
Suplentes: 16 – Gonçalo Domingues; 17 – João B. Melo; 18 – Fernando Almeida; 19 – Salvador Cunha; 20 – Vasco F. Mendes; 21 – Gonçalo Prazeres; 22 – João Freudenthal; 23 – Bruno Rocha.

XV da Polónia:
1 – Wilckzuk Marcin; 2 – Buczek Grzegorz; 3 – Kostalkowski Sebastian; 4 – Piotrowski Adam; 5 – Wisniewski Piotr; 6 – Nowicki Aleksander; 7 – Plonka Marek; 8 – Zeszutek Piotr; 9 – Plichta Mateusz; 10 – Banaszek Dawid; 11 – Rokicki Tomasz; 12 – Bracik Kewin; 13 – Beccuau Valentin; 14- Beccuau Alexandre; 15-Rajewski Przemyslaw
Suplentes: 16 – Ignaczak Adrian; 17 – CHROSCIEL Adrian; 18 – Graban Robert; 19 – KROL Wojciech; 20 – Nowicki Jedrzej; 21 – Szablewski Lukasz; 22 – Kaminski Jakub; 23 – Bachurzewski Craig

Foto de Capa: Filipe Monte – Fotografia