O ano transato ficou marcado pelo domínio português no terceiro escalão do rugby europeu. A vitória frente aos alemães ditou a tão esperada subida ao Championship, torneio em que Portugal enfrentará seleções como a Bélgica, a Espanha, a Roménia, a Geórgia e a Rússia.

A faltar apenas uma semana para o pontapé de saída do torneio das 6 Nações B, Patrice Lagisquet, selecionador nacional, chamou, para a preparação do primeiro jogo, frente à Bélgica, muitos jogadores novos, oriundos, muitos deles, da seleção sub20. Entre estes atletas destacam-se Jerónimo Portela e Raffaele Storti, que estão de malas feitas para o Uruguai, onde participarão na nova liga sul americana profissional.

De acrescentar ainda que Simão Bento, que também fez parte da bela campanha dos sub20 no World Rugby Trophy U20, está de fora das opções do treinador francês. Este contraiu uma lesão no tornozelo, num jogo entre Portugal e Espanha, em sub20.

Após as boas exibições deixadas pelos comandados do ex-internacional francês na América do Sul, a expectativa é alta. Espera-se uma equipa com uma linha de três quartos imprevisível e com um jogo dominante no que ao pack avançado diz respeito.

Anúncio Publicitário
Fonte: FP Rugby

O jogo frente aos belgas marcará o retorno dos Lobos ao segundo escalão do Rugby na Europa, após três épocas a competir no Rugby Europe Trophy. Esta será a décima quinta vez que Portugal e Bélgica se vão defrontar nesta modalidade, contando, os lusos com nove vitórias, dois empates e três derrotas.

Esta subida de divisão fará com que Portugal defronte seleções de um nível superior, como é o caso da Geórgia e da Roménia, que têm um vasto leque de jogadores a atuar nos melhores campeonatos europeus, como o Top 14. Um aumento de competitividade que era procurado há três épocas, tendo como objetivo a qualificação para o mundial 2023 em França.

A primeira jornada será disputada sábado, dia 1 de fevereiro, no Estádio Universitário de Lisboa.

A POSSIBILIDADE DA MODALIDADE CRESCER

Conforme veio a público, este último será o palco, em setembro de 2021, da realização do campeonato de Europa Universitário de 7’s. Uma competição que contará com dezasseis equipas vindas de diferentes países europeus. Estima-se que estarão envolvidos no torneio cerca de 250 participantes, entre os quais estão, treinadores, jogadores e dirigentes. Ao que a entidade organizadora adiantou, a competição terá uma duração de quatro dias.

Pela primeira vez a ADESL terá o papel de organizar uma competição internacional, neste caso em conjunto com a Federação Portuguesa de Rugby.

Uma competição que pode ajudar a desenvolver um desporto tão desconhecido e tão pouco praticado no nosso país. Não só em termos de jogadores, mas também em termos de árbitros, uma vez que, ao ser organizada pela ADESL em conjunto com a Federação Portuguesa de Rugby, pode representar uma oportunidade de envolver juízes de jogo nacionais.

O Rugby é, no meu ponto de vista, um desporto com uma margem de progressão reduzida em Portugal, na medida em que é pouco praticado e tem pouca visibilidade. Creio que esta competição pode ser uma forma de conseguir atrair mais jogadores, árbitros e treinadores. São este tipo de torneios e o aparecimento de projetos, como o da criação do canal oficial da Federação, que contribuem para o desenvolvimento do Rugby português.

De acrescentar ainda que esta será a primeira competição de caráter internacional a ser organizada pela ADESL, num ano em que a cidade de Lisboa será a capital europeia do desporto.

Foto de Capa: FPRugby