O pontapé de saída da sexta jornada do Super Rugby Aotearoa deu-se em Wellington, no jogo de cartaz do fim de semana, sendo este o embate entre Hurricanes e Blues. Este confronto gerou muita expectativa na imprensa e nos adeptos, não só por ter marcado o regresso de Beauden Barrett ao Sky Stadium, desta vez na condição de adversário, mas também por colocar frente a frente os irmãos Barrett pela primeira vez.

Já em campo, o apelido “Barrett” esteve diretamente ligado à história do jogo. De um lado, Beauden respondeu a Ngani Laumape com um ensaio de grande qualidade, ao enganar TJ Perenara e Tyrel Lomax com um dummy antes de chegar à área de validação contrária. Do outro lado, Jordie garantiu a terceira vitória consecutiva dos Hurricanes, ao converter o ensaio de Asafo Aumua a três minutos do apito final de Ben O’Keeffe.

Apesar de suada, os Hurricanes mereceram a vitória, uma vez que dominaram o jogo nos capítulos do território e da posse. A equipa de Jason Holland mostrou uma boa capacidade de manter a bola viva e de montar fases de jogo. Aliada a esta qualidade, esteve a capacidade de penetração e de transporte de bola da dupla de centros. Ngani Laumape e Peter Umaga-Jensen mostraram-se explosivos no ataque à linha de vantagem, oferecendo, deste modo, uma melhor posição territorial à sua equipa.

Anúncio Publicitário

Ainda assim, os Canes não conseguiram tirar partido de muitas das oportunidades criadas. À semelhança do sucedido na semana passada, a franquia de Wellington ora falhava no último passe, ora não era capaz de segurar bolas importantes no contacto.

Os Blues, por seu turno, tiveram dificuldade em alargar o jogo para os canais exteriores. Com a lesão de Otere Black e consequente mudança de Beauden Barrett para médio de abertura, a franquia de Auckland conseguiu, em certa medida, dar mais profundidade ao seu jogo, mas a previsibilidade continuava a fazer-se sentir nas linhas atrasadas. Por outro lado, o pack avançado realizou uma boa exibição, ao ser responsável por três dos quatro ensaios marcados pelos Blues e pelo sucesso no que às fases estáticas diz respeito. Além do mais, a sua capacidade defensiva tem vindo a melhorar, sendo que os Hurricanes não conseguiram marcar qualquer ponto durante os dez minutos em que Emoni Narawa esteve no sin bin. Os Blues conseguiram equilibrar o resultado através de uma defesa compacta, tendo como figura principal Dalton Papali’i. O flanqueador realizou, mais uma vez, uma grande partida, ao somar 18 placagens efetivas e um ensaio.

Com esta vitória por 29-27, o conjunto da capital soma o terceiro triunfo consecutivo, tendo o seu rendimento dentro de campo aumentado de forma exponencial em relação às jornadas iniciais. Já os Blues, realizaram a sua pior exibição nesta competição, complicando, desta forma, as contas na luta pelo primeiro lugar.