Anterior1 de 2Próximo

A terceira jornada do torneio das Seis Nações começou com os embates entre Itália e Escócia, País de Gales e França. Ontem, foi disputado o último jogo, sendo este o Inglaterra – Irlanda.

No jogo de Roma, entre Itália e Escócia, estavam as únicas seleções que não tinham qualquer vitória à entrada para a terceira jornada. Os italianos não vencem um jogo para a competição desde 2015, ano em que derrotaram os escoceses em Edimburgo. Do outro lado, a Escócia vinha de um desaire, em casa, frente aos ingleses.

Uma partida que ficou marcada pelo seu baixo ritmo e pela pouca qualidade. A equipa da casa mostrou muitas dificuldades em segurar o jogo. Já os escoceses, mostraram-se mais eficazes, tendo em Hamish Watson, Jamie Ritchie e Stuart Hogg as suas maiores ameaças. Os dois primeiros estiveram muito fortes na placagem (somando, os dois, 36 placagens, das quais zero falhadas). Já o capitão marcou um belíssimo ensaio, ao minuto 22. Quebrou a linha da vantagem e bateu três defensores transalpinos antes de fazer o grounding.

O momento do ensaio de Stuart Hogg
Fonte: Six Nations Rugby

A Itália conseguiu equilibrar bastante o jogo, principalmente na primeira parte, aproveitando a imprevisibilidade de Bellini, Morisi e Minozzi. No pack avançado, grande destaque para Jake Polledri. Mais uma grande exibição do flanqueador italiano, com 20 placagens efetivas, dois turnovers conquistados e 74 metros percorridos com a bola.

Além do ensaio do defesa Hogg, o jogo teve apenas mais dois ensaios, ambos para a seleção britânica. Seis minutos depois do início dos segundos 40 minutos, o segundo centro, Chris Harris, fez o toque de meta na área de validação italiana, após uma longa sequência de fases à mão, este quebrou a linha da vantagem e somou mais cinco pontos para a sua equipa. O último ensaio do jogo foi da autoria de Adam Hatings, que aproveitou um erro posicional e tático de palmatória da defesa adversária.

Com esta vitória (0-17), os comandados de Gregor Townsend somam a primeira vitoria na competição. Do lado oposto, a Itália de Franco Smith baixou o seu rendimento em relação à exibição da semana passada em Paris, continuando em último lugar sem qualquer ponto.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários