cab Rugby

Quando se fala de Rugby, é comum vir ao de cima a eterna contradição entre os valores e diferença apregoados com orgulho por quem segue a modalidade e a ideia de que há “agressividade” em campo.

Fica então a questão: o Rugby é diferente de muitos outros desportos? O que o distingue?

Para quem pratica ou conhece bem a modalidade, é natural defender que a mentalidade deste desporto é diferente, que os valores como o respeito, o companheirismo, a coragem e a ambição vêm acima de tudo. Que a vitória é importante, muito importante. Mas que será procurada de modo leal e com respeito pelo adversário. Para além disso, ninguém alcança a vitória sozinho. É um trabalho árduo mas de equipa.

No entanto, quem não conhece a modalidade terá, provavelmente, a ideia de que o Rugby é um desporto mais violento.

Nunca pratiquei Rugby nem era adepta da modalidade. Como tal, também tive essa ideia de que este seria um desporto muito violento. Cruzei-me com o Rugby profissionalmente e foi apenas aí que percebi como estava errada. O Rugby é um desporto com muito contacto físico. No entanto, percebi eu, isso não significa que esse contacto seja feito com violência. Aprendi que os atletas que se iniciavam em escolas de Rugby aprendiam que tinham de respeitar o adversário antes de aprender o que é um ensaio.

Fonte: Facebook.com/fpr.pt
A união da Selecção Nacional.
Fonte: Facebook.com/fpr.pt

Esta ideia da agressividade neste desporto é ainda alimentada pela imprensa. Quando acontece algo errado com alguém que, por acaso, está ligado ao Rugby, é comum ver títulos nos jornais que justificam o acontecimento com a ligação à modalidade. No entanto, o facto de os adeptos assistirem a jogos de grandes equipas lado a lado com os seus rivais ou o facto de, até nos maiores e mais disputados jogos, não se ouvirem jogadores ou adeptos a insultarem os árbitros não são suficientemente importantes para serem notícia.

Fico feliz por ter aprendido o que é o Rugby e por ter aprendido a valorizá-lo. No entanto, à medida que o Rugby português vai evoluindo e que a Selecção vai alcançando mais objectivos, apercebo-me de que a pressão aumenta e de que cada vez se exige mais. E, por isso, temo por vezes que a pressão em torno dos resultados coloque alguns destes valores em segundo plano.

Uma vez disseram-me que quanto melhor pessoa um atleta for, mais sucesso terá no seu percurso no desporto. Eu acredito nisso. E espero que os nossos atletas e dirigentes também. Porque, se Portugal não se esquecer dos valores que sustentam esta modalidade e que elevaram o Rugby português até este patamar, tenho a certeza de que continuará a crescer.

Comentários