Cabeçalho modalidadesDisputou-se esta semana na Waterfront Hall, em Belfast, o Dafabet Northern Ireland Open, prova pontuável para o ranking. O menino prodígio do Snooker mundial, Yan Bingtao, que nasceu há apenas 17 anos na China, esteve muito próximo de se tornar o jogador mais jovem de sempre a conquistar uma prova pontuável para o ranking, contando apenas com 17 anos e 284 dias, à data da final, onde acabou por ser derrotado.

Apenas o veterano Mark Williams, com 42 anos, conseguiu evitar este feito, vencendo o chinês numa final que foi decidida apenas na negra, ajudando, assim, Ronnie O’Sullivan, um jogador da sua geração (ambos vão na 26ª temporada como profissionais), a manter o registo de jogador mais jovem de sempre a vencer um torneio.

O Dafabet Northern Ireland Open foi perdendo as suas estrelas logo nas primeiras rondas. Barry Hawkins, Shaun Murphy e Judd Trump foram eliminados logo na primeira ronda e Mark Allen seguiu-lhes os passos na segunda ronda. Já na terceira ronda, sucumbiram Ronnie O’Sullivan e John Higgins. Todos estes, jogadores do Top-10 mundial, foram eliminados por jogadores que estão actualmente classificados numa posição abaixo do 50º lugar do ranking. Desta forma, quando o torneio chegou à Quarta Ronda, já não contava com nenhum jogador do Top-10 mundial.

Ao contrário do que fizeram os pesos-pesados do Snooker, o jovem Yan Bingtao voltou a mostrar que chegou para ficar e voltou a apresentar-se em excelente forma neste torneio. Arrancou com duas vitórias por 4-0 (Robbie Williams e Jamie Curtis-Barrett), seguindo com um 4-1 a Mark King, na terceira ronda. Seguiram-se vitórias frente a Ryan Day (Quarta Ronda), Robert Milkins (Quartos-de-Final) e Lyu Haotian (Meias-Finais).

Se, de um lado do quadro, brilhava a juventude de Yan Bingtao, do outro ia imperando a experiência de Mark Williams. Também ele começou com duas vitórias por 4-0 (James Wattana e Tom Ford) e uma vitória por 4-1 (Akani Songsermsawad). Na Quarta Ronda, Williams bateu David Gilbert por 4-2 e seguiram-se vitórias frente a Mike Dunn (Quartos-de-Final) e Elliot Slessor (Meias-Finais).

Desta forma, chegávamos à final deste fim-de-semana com um duelo entre o irreverente Yan Bingtao (27º do ranking mundial, à entrada para este torneio), que, após ser o mais jovem de sempre a atingir uma final de um torneio pontuável para o ranking, ambicionava tornar-se também no mais jovem de sempre a vencer uma destas provas, e o experiente Mark Williams (16º) que, segundo informações reveladas pela comunicação social, tinha a sua mulher (e mãe dos três filhos de ambos) internada no hospital com suspeitas de meningite viral.

A final do torneio trouxe-nos um choque de gerações, sendo disputada por Yan Bingtao (17 anos) e Mark Williams (42 anos) Fonte: World Snooker
A final do torneio trouxe-nos um choque de gerações, sendo disputada por Yan Bingtao (17 anos) e Mark Williams (42 anos)
Fonte: World Snooker

Yan Bingtao entrou no encontro com vontade de fazer história e liderou sempre a final: 2-0, 3-1, 4-2, até aos 5-3, resultado com o qual se concluiu a primeira sessão. No início da segunda sessão, voltou a entrar a ganhar e reforçou a sua vantagem para 6-3.

Apesar das dificuldades impostas pelo jovem chinês, Mark Williams conseguiu reagir e venceu três frames de seguida, igualando o encontro a seis. Bingtao voltou à frente do marcador por, Williams igualou novamente (7-7) e Bingtao voltou a colocar-se na frente por 8-7, ficando apenas a um frame de entrar para a história. No entanto, neste final de partida, a experiência de Mark Williams revelou-se fundamental, conseguindo levar o jogo para a negra e aí ser mais forte que Yan Bingtao.

Já no decorrer desta semana, inicia-se no Barbican Centre, em York (Inglaterra), o UK Championship, um dos principais torneios da época. Mark Selby, actual campeão mundial e número um do ranking, defende o título, que será decidido a 10 de Dezembro, e que irá atribuir 850 mil libras (955.519 euros) em prémios, das quais 170 mil libras (191.104 euros) serão entregues ao campeão.

Foto de Capa: World Snooker

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

Comentários