Terminou este fim-de-semana o China Open, disputado entre os dias 2 e 8 deste mês de Abril, no National Olympic Sports Centre Stadium, em Pequim.

O inglês Mark Selby, que vinha de uma época pouco conseguida ao nível dos resultados, tendo apenas conquistado o International Championship, também ele disputado na China, acabou por se superiorizar a toda a concorrência e levar para casa o seu 14º título da carreira.

Líder destacado do ranking mundial, Selby tem dominado a prova chinesa nos últimos anos. Depois de vencer as edições de 2015 e 2017, o inglês levou agora para casa o seu terceiro troféu em quatro edições da prova. Este feito ganha ainda mais relevância se tivermos em conta que na edição de 2016 Selby não se apresentou na prova por opção. Desta forma, Selby encontra-se numa impressionante sequência de 21 vitórias consecutivas nesta prova, para a qual não é derrotado desde 2014.

Esta era uma prova com muitos motivos de interesse para diversos jogadores. Para além do troféu conquistado por Mark Selby, o China Open destaca-se por distribuir avultados prémios monetários aos jogadores, sendo um dos torneios mais rentáveis do circuito (só Selby levou para casa qualquer coisa como 258.000 euros).

Como se isto não fosse aliciante o suficiente, esta era a última prova pontuável para ranking disputada antes do mundial, o que significa que todos os jogadores que ainda lutavam por um lugar do ranking que lhes permitisse entrar no quadro principal do mundial viam aqui a sua última hipótese de somar os derradeiros pontos.

Para além do vencedor do torneio, foram vários os jogadores do top-10 mundial que se conseguiram apresentar em boa forma neste China Open, numa fase em que nos aproximamos do tão desejado mundial. Neil Robertson, Kyren Wilson, Mark Williams e Barry Hawkins destacaram-se no torneio disputado em Pequim e chegaram todos eles aos Quartos-de-Final da prova.

Stuart Bingham, 12º do ranking mundial, foi outro dos jogadores que marcou presença nestes Quartos-de-Final, tendo no entanto alcançado destaque neste torneio por outros motivos. Bingham e Ronnie O’Sullivan conseguiram alcançar neste torneio tacadas máximas (147), sendo que no caso de Bingham esta foi a sua quarta entrada de 147 pontos da carreira, enquanto no caso do Rocket esta foi já a 14ª ocasião em que tal aconteceu (recorde absoluto).

Apesar deste feito, Stuart Bingham acabou por ser eliminado precisamente nos Quartos-de-Final, quando saiu derrotado por 6-0 frente a Neil Robertson. O mesmo destino tiveram Tom Ford (derrota por 6-5 frente a Barry Hawkins), Jack Lisowski (também por 6-5, frente a Kyren Wilson) e Mark Williams (batido por 6-2 por Mark Selby).

Nas Meias-de-Final, dois jogos muito interessantes de acompanhar, com Selby a superiorizar-se perante Kyren Wilson (10-8) e Barry Hawkins, com uma excelente exibição, a afastar Neil Robertson ao bater o australiano por 10-6.

A final do torneio foi disputada entre Mark Selby e Barry Hawkins
Fonte: World Snooker

Numa final disputada à melhor de 21 frames, que se previa bem mais equilibrada do que acabou por ser, Mark Selby demonstrou o porquê de ser bi-campeão mundial e líder do ranking. Apresentou-se neste torneio a um nível muito mais elevado do que aquele que tem demonstrado esta época. Até foi Hawkins quem entrou melhor ao vencer o primeiro frame, mas depois disso, Selby respondeu com cinco frames consecutivos e colocou o encontro em 5-1.

Barry Hwakins voltou a conseguir conquistar um frame e reduziu para 5-2, mas logo de seguida, mais cinco frames consecutivos para Selby. Com o encontro em 10-2, era apenas uma questão de tempo e, apesar de Hawkins ainda ter reduzido para 10-3, Selby fechou o encontro no frame seguinte com uma entrada de 132 pontos. Resultado final: 11-3. Mark Selby revalidava assim o seu título no China Open.

O jogador de 34 anos chegará assim em alta ao mundial, que se disputa este mês no Crucible Theatre, onde é um dos principais favoritos a vencer a prova e assim defender o troféu que conquistou nas últimas duas épocas.

Já esta semana, iniciam-se as rondas de qualificação para o mundial, com o quadro principal a ter início no dia 21 de Abril.

Foto de Capa: World Snooker

Comentários