cab Surf

Poucos dias depois de Vasco Mónica ter renovado contrato com a marca O’Neill, o surfista natural do Alentejo foi o primeiro luso a ser eliminado do mundial de juniores a decorrer no Equador. Depois do enorme susto que a seleção portuguesa passou devido ao alerta de tsunami na costa do Equador, foi agora a vez de uma perda bem precoce por parte do vice-campeão nacional de sub-14.

Keshia Eyre e Camilla Kemp, que competem no escalão de sub-18, também não estiveram a 100%, tendo sido mesmo eliminadas dos respetivos heats e enviadas para as repescagens.

Anúncio Publicitário

Mas nem tudo são más notícias. As surfistas Teresa Bonvalot e Inês Bispo destacaram-se, ao passarem ambas à ronda 3. As duas colegas de equipa competiram no mesmo heat e conseguiram trabalhar em equipa de modo a eliminar as duas adversárias.

Teresa Bonvalot. Fonte:Beachcam.sapo.pt
Teresa Bonvalot tem-se destacado
Fonte: Beachcam.sapo.pt

Depois de ter vencido a primeira etapa da Liga Moche na Costa da Caparica, Teresa Bonvalot apresenta-se em excelente forma e é agora uma séria candidata ao título na prova feminina.

Também Francisco Almeida avança para a próxima ronda, depois de ter eliminado no mesmo heat o seu colega de equipa Vasco Mónica.

O Margaret River Pro conta já com o terceiro dia consecutivo sem prova. Com as condições a não estarem favoráveis para a prática de surf ao mais alto nível, os surfistas do WCT aproveitam para surfar em picos diferentes e descansar.

Medina. Fonte: Aspsouthamerica.com/
No round 4, Medina vai encontrar pela frente o seu grande amigo e “acrobata” Miguel Pupo
Fonte: Aspsouthamerica.com/

Começa já a ser um hábito nesta rubrica o nome deste menino: Gabriel Medina. E porque será?! Apenas com 20 anos, o jovem brasileiro é o melhor surfista júnior do mundo e, se assim continuar, caminha para melhor surfista do WCT. Há já quem diga que daqui a pouco tempo vai mesmo superar Kelly Slater. Pois bem, falo neste surfista porque depois de ter ganho a primeira etapa do WCT na Austrália, Medina volta a estar em grande destaque neste Drug Aware Margaret River Pro. A etapa ainda vai no round 3, mas o surfista brasileiro conta já com o melhor score do round 3 e segundo melhor score de toda a prova. Com manobras inovadoras e por vezes arriscadas, Gab Medina é já um dos surfistas mais radicais e improváveis do circuito.