cab Surf

Mais uma etapa acabada e o campeão está de volta. Exatamente! O atual campeão mundial, Mick Fanning, foi o grande vencedor da terceira etapa do WCT. Depois de ter vencido Matt Wilkinson, Owen Wright e Julian Wilson durante toda a etapa, o campeão do mundo encontrou pela final outro australiano, Taj Burrow.

As condições estavam épicas, e, com ondas perfeitas a rondar o metro e meio de altura, Mick Fanning e Taj Burrow proporcionaram uns espetaculares 30 minutos de surf na grande final. Mick Fanning começou da melhor maneira o heat, com um 8.83. Taj, pelo contrário, respondeu da pior maneira, com um 3.83. Fanning voltou a ripostar, com um 8.00, e nessa altura Taj teve uma reação explosiva. Apanhou uma das melhores ondas do set e conseguiu fazer uma das melhores notas de toda a competição, um 9.63 em 10 pontos possíveis. Deste modo, Mick Fanning tocou o sino e sagrou-se campeão de Bells Beach.

Anúncio Publicitário
Micj Fanning toca o sino. Fonte: fotospublicas.com
Mick Fanning toca o sino.
Fonte: fotospublicas.com

Um aparte que quero acrescentar neste texto foi a excelente prestação de Jordy Smith no round cinco. Apesar de ser o meu surfista preferido, Jordy merece ser reconhecido pela sua onda magistral. Faltava pouco mais de um minuto para o fim do heat que reunia Jordy Smith, com licra vermelha, e Julian Wilson, de amarelo. Smith encontrava-se em segundo lugar. Deste modo, precisava de uma onda que lhe fosse pontuada com um 9.97. Recordo que o máximo que se pode fazer numa onda são 10 pontos. Com manobras bem explosivas e radicais e um aereo reverse no fim da onda, e a faltar um minuto para o fim da bateria, toda a praia ficou incrédula e esperançosa para que a nota fosse um 9.97 ou mais, claro. Infelizmente, a onda valeu-lhe apenas um 9.93, ficando a quatro centésimas de passar aos quartos de final.

Jordy Smith a rasgar forte Fonte: aspworldtour.com
Jordy Smith a rasgar forte
Fonte: aspworldtour.com

Alguns jurados pontuaram com 10 pontos, mas outros não, e a nota final é a média das notas dos jurados. Será que que houve justiça? A meu ver, aquela onda era um perfeito 10, mas eu também sou apenas mais um mero espectador daquele que, para mim, é o melhor desporto do mundo. Ainda assim, queria frisar que são atitudes destas que diferenciam os bons dos melhores.