Anterior1 de 3Próximo

Depois de uma semana sem ondas e, consequentemente, sem competição, o Pro Portugal voltou neste sábado para que os quartos de final fossem realizados. Depois do adiamento do primeiro call, o dia começou, à segunda tentativa, com os heats masculinos. Muito se ansiava por uma decisão por parte da WSL para saber se a competição ia terminar já e, pelos vistos, foi isso que aconteceu mesmo. Assim, trazemos-te o resumo de tudo aquilo que se passou neste último dia de Pro Portugal, em Peniche.

QUARTOS DE FINAL TRAZEM SENTIMENTO AMBÍGUO AOS BRASILEIROS

Os primeiros a entrar no mar de Supertubos foram Jordy Smith e Kolohe Andino, num heat de grande importância para os dois surfistas, considerando que estão ambos na luta pelo titulo mundial. Num heat onde predominaram as ondas medianas e fracas, Jordy Smith com um 7.07 e um 6.33 acabou por levar a melhor face ao norte-americano que apenas conseguiu um score combinado de 10.97.

A surpresa acabou por surgir no segundo heat do dia. Depois da eliminação de Gabriel Medina na ronda anterior, Filipe Toledo tinha agora caminho aberto para assumir a liderança do ranking mundial, faltando disputar apenas mais um evento. No entanto, o atual número dois do ranking defrontou um grande conhecedor das ondas portuguesas, Kanoa Igarashi, que com um 8.67 e um 6.57 (15.24 no total) levou a melhor diante do brasileiro, que fez apenas 12.26.

Anúncio Publicitário

Depois da eliminação de Filipe Toledo, foi a vez de outros dois brasileiros entrarem na água: Caio Ibelli e Peterson Crisanto. Num heat marcado por scores baixos, Caio Ibelli com um 6.53 e um 6.33 (12.86 no total) eliminou Peterson Crisanto, ele que tinha protagonizado alguns dos melhores scores da competição até ao momento. Deste modo, a caminhada de Caio na tentativa da manutenção na elite mundial no próximo ano mantém-se intacta.

A fechar os quartos de final masculinos tivemos, provavelmente, o melhor heat do campeonato até ao momento. Italo Ferreira e Jack Freestone brindaram os presentes na praia de Supertubos com algumas das melhores ondas do campeonato. Num heat onde nenhum dos dois merecia ser eliminado, a vitória acabou por cair para o lado do brasileiro que com duas ondas na casa do excelente (9.57 e 8.33 – 18.40 no total) deitou as esperanças de Jack Freestone, de sair de Peniche com o título da prova portuguesa, por terra. Apesar da sua eliminação, o australiano sai de prova com um score combinado de 16.87, pontuação que lhe daria a vitória em qualquer outro heat dos quartos de final.

AQUILO QUE JÁ SE ESPERAVA… TUDO PRONTO PARA O EMBATE DE TITÃS

A norte-americana Caroline Marks e a australiana Shephanie Gilmore abriram os quartos de final femininos na praia dos Supertubos. A número quatro do ranking mundial, Caroline Marks, começou da melhor maneira este primeiro heat com uma onda com um score de 7.00 e terminou com uma 8.17 e não deu hipóteses à australiana. Shephanie Gilmore acabou com um total de 12.07, que foi insuficiente para passar à próxima fase.

No segundo heat, foi a vez de termos uma surpresa. A número três do ranking mundial, Sally Fitzgibbons, acabou por desiludir, em Peniche, ao ser eliminada nestes quartos de final. A brasileira Tatiana Weston-Webb começou o heat da melhor maneira com um 7.50 e para terminar a sua combinação final fez uma onda avaliada em 6.17 e foi mais do que suficiente para passar às meias finais. A australiana não passou de um total de 9.14 (4.77 + 4.37).

A líder do ranking mundial está imparável e não tem dado qualquer hipótese à concorrência nesta etapa portuguesa. Desta vez, a havaiana deixou para trás a francesa Johanne Defay com uma diferença de 8,56 no combinado total. Carissa Moore, à semelhança de Ítalo Ferreira nos heats masculinos, conseguiu uma das melhores notas nesta etapa com um 9.33! A havaiana fez um total de 16.06 e marcou presença na meia final enquanto que Johanne Defay não foi além de um 7.50 (3.00 + 4.50).

Carissa Moore mostrou que queria terminar com a discussão do título mundial já em Peniche
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

No último heat desta fase, houve alguém a mostrar que ainda não desistiu de lutar pelo título mundial: Lakey Peterson. A norte-americana mostrou ainda estar viva no campeonato depois de uma boa exibição nos quartos de final. Peterson só se mostrou nesta fase com as suas duas últimas ondas (5.83 e 5.50) e isso levou-a a ter um total de 11.33, que foi suficiente para passar às meias. Nikki Van Dijk acabou por ser eliminada com um total de 8.83 (4.90 e 3.93).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários