Cabeçalho modalidadesA primeira edição do ATP NextGen Finals está prestes a começar; uma “réplica” do ATP World Tour Finals dedicada exclusivamente a atletas sub-21. A proposta é interessante logo à partida, dando oportunidade, aos fãs, de verem as novas pérolas do ténis mundial num registo de altíssima competitividade e aos atletas de terem um “gostinho” daquilo que pode vir a ser uma realidade num futuro mais ou menos próximo. Mas a organização do torneio não se ficou por aqui em termos de novidades. Esta prova vem aplicar à competição pela primeira vez várias (10) alterações já apresentadas às “autoridades” mundiais do ténis e que poderão causar bastante confusão aos adeptos e também aos atletas:

  1. Os encontros serão disputados há melhor de cinco ‘short sets’ (sets até aos 4 jogos, com tie-break a 3-3);
  2. Os jogos serão decididos, em ultimo caso, com ponto de ouro. Ou seja, aos 40-40, quem vencer o ponto seguinte vence o jogo. Pela primeira vez, quem escolherá o lado para onde servir será mesmo o servidor (e não quem responde, à semelhança do que se faz em provas de pares);
  3. Não haverá let. Caso a bola bata na tela no serviço, jogar-se-á o ponto a partir daí;
  4. Não haverá juízes de linha. Todas as chamadas serão dadas pelo árbitro de cadeira, auxiliado por olho de falcão permanente, em todas as linhas do campo;
  5. O court será delimitado por linhas de singulares, apenas;
  6. Desde o momento de entrada no court, os jogadores terão 5 minutos exatos para jogar o primeiro ponto;
  7. Apenas uma paragem médica é permitida a cada jogador durante o encontro;
  8. Os jogadores estarão autorizados a receber instruções dos seus treinadores entre os sets, através de auriculares;
  9. Estará presente no court um cronómetro (à semelhança do basquetebol) que contará de forma decrescente 25 segundos entre os pontos, evitando excessos;
  10. O público pode movimentar-se livremente nas bancadas laterais.

No que toca às estrelas propriamente ditas, o torneio sofreu uma baixa que, apesar de última hora, já era esperada: o número 1 da classificação sub-21 Alexander Zverev decidiu focar-se no Masters dos “graúdos” (que começa já no dia 12 de Novembro), já que não é todos os dias que se disputa essa prova, ainda para mais sendo o 3º classificado na classificação geral ATP. Outra ausência notável é o grego Stefano Tsitsipas que, apesar de ser um dos melhores jovens da atualidade, não conseguiu recuperar do mau início de temporada e, assim, chegar ao lote dos 8 apurados tendo sido.. 9º.  Ainda assim, os dois atletas, Sascha Zverev e Tsitsipas aceitaram o convite da organização e disputarão um encontro amigável em Milão. Assumem-se assim como principais figuras Borna Coric, Andrey Rublev e Denis Shapovalov que prometem lutar para mostrar que estão aí, e vieram para ficar. Já as inovações (ou invenções) trazidas pela organização do torneio, essas, veremos se ficam de vez na modalidade ou não.

Denis Shapovalov foi um dos jovens que mais se destacou na presente temporada Fonte: Denis Shapovalov
Denis Shapovalov foi um dos jovens que mais se destacou na presente temporada
Fonte: Denis Shapovalov

Grupo A

Andrey Rublev
Denis Shapovalov
Hyeon Chung
Gianluigi Quinzi (que se qualificou através de uma prova prévia que reuniu apenas os 8 melhores tenistas da casa – neste caso, italianos)

Grupo B

Karen Khachanov
Borna Coric
Jared Donaldson
Daniil Medvedev

Foto de Capa: NextGen ATP Finals

Comentários