Esta semana trago-vos um artigo sobre um tenista que admiro bastante e do qual sou grande fã. Falo de Juan Martin Del Potro.

O jogador argentino de 30 anos tornou-se profissional em 2005. Em 14 anos de carreira, venceu 22 títulos, dois deles no Estoril Open. Uma das maiores vitórias da sua carreira aconteceu em 2009. Nesse ano, nos Estado Unidos, conquistou, pela primeira e única vez, um Grand Slam. No entanto, a uma carreira cheia de títulos junta-se uma série de lesões que o afastaram dos courts durante vários meses.

Em 2009, Del Potro venceu Roger Federer na final do Us Open e conquistou, pela primeira vez, um Grand Slam
Fonte: ATP World Tour

A primeira grande paragem de Del Potro ocorreu em 2010. Antes da cirurgia ao pulso direito e com apenas 21 anos, o jovem argentino tinha alcançado a sua melhor classificação desde que se tornou profissional, tendo chegado ao quarto lugar do ranking ATP. Recuperado do problema que afetou o pulso, Del Potro regressou aos courts e ao top dez do ranking. Porém, novas lesões no pulso voltaram-no a afastar da competição (março 2014 / janeiro 2015 / junho 2015).

Foram necessários três anos, desde da última lesão, para voltar a ver Del Potro entre os dez melhores jogadores do circuito. Em 2018, o jogador de 30 anos conquistou dois títulos, sendo que um deles foi o Masters de Indian Wells, um dos mais prestigiados do mundo.

Anúncio Publicitário

Na semana passada, o azar voltou a bater à porta. Del Potro foi obrigado a desistir do Open de Londres, depois de sentir dores no joelho direito. Infelizmente, o tenista confirmou que terá de ser operado e ainda não sabe até que ponto esta lesão pode acabar com a sua carreira.

Uma das razões pela qual admiro tanto este desportista deve-se à sua determinação e garra com que ultrapassa todos os obstáculos que surgem dentro e fora de campo. Apesar das lesões com que se deparou nos últimos anos, Juan Martin Del Potro regressou sempre ao seu melhor e atingiu sempre grandes patamares e é isso que espero que aconteça novamente, porque acredito que ele ainda tem muito para dar ao ténis.

Foto de Capa: ATP World Tour