ÚLTIMA HORA:

Djokovic “ganha o Óscar” frente a Andy Murray

cab ténis

Novak Djokovic conquistou pela quinta vez o Open da Austrália, derrotando na final o britânico Andy Murray por 7/6, 6/7, 6/3 e 6/0. Mais uma vez o tenista sérvio protagonizou momentos que geraram opiniões divergentes por parte da crítica e dos adeptos.

O número 1 mundial colocou tudo o que tinha na final deste Open da Austrália, e tudo o que tinha refere-se ao jogo jogado mas também à vertente mental da partida. Djokovic, conhecido pela sua saudável “loucura” dentro de court, conseguiu desconcentrar Andy Murray, que nunca mais foi o mesmo a partir do terceiro set do encontro.

Depois de dois set’s iniciais, resolvidos apenas no tie-break, com a duração de 2h30, os dois set’s finais resolveram-se em 60 minutos. Não foi Andy Murray que “desaprendeu” o que sabia e a táctica que aplicou nos set’s iniciais, mas sim o sérvio que conseguiu mexer com a cabeça do britânico, que nunca mais conseguiu encontrar os níveis de concentração necessários para discutir taco-a-taco a final deste Open da Austrália.

O número 1 mundial alegou algumas dores durante a terceira partida, e com as queixas e as paragens conseguiu quebrar o ritmo de Murray, que estava em fase ascendente da partida, e partir assim para dois set’s finais completamente diferentes das duas partidas iniciais.

No entanto, o feito de Djokovic não merece ser recordado apenas pelos factores extra-jogo. O tenista sérvio esteve melhor e soube à sua maneira levar o jogo a seu favor, numa partida que começou por ser complicada. Andy Murray foi com a lição bem estudada e os dois set’s iniciais tanto poderiam ter “caído” para um como para outro.

Murray atacou a esquerda de “Nole” e conseguiu criar dificuldades ao sérvio, que no entanto aproveitou uma das maiores deficiências do jogo de Murray, o segundo serviço. Murray conquistou apenas 34% dos pontos com o segundo serviço, enquanto Djokovic conquistou 64%. O sérvio soube aproveitar as fraquezas de Djokovic para, a par da desconcentração do britânico, conseguir conquistar mais um troféu do Open da Austrália.

Andy Murray regressou assim a uma final de um torneio do grand slam, enquanto Novak Djokovic conquistou pela quinta vez o Open da Austrália, reforçando a sua liderança do ranking mundial. Com esta final, o top 4 voltou a ser constituído pelos denominados “big four”: Djokovic, Federer, Nadal e Murray, devido à queda de Stanislas Wawrinka no ranking.

Nos pares, os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini venceram os franceses Pierre Herbert e Nicolas Mahut (o protagonista do jogo de 11h em Wimbledon), por 6/4 e 6/4.

O Open da Austrália regressa para o ano, num evento que está a ficar cada vez melhor, quando foi já considerado o mais “pobre” dos quatro grand slams. Hoje em dia, Melbourne Park é uma casa de topo que abre a temporada do ténis de topo mundial.

Componente 5 – 1 (1)

O Miguel jogou ténis durante mais de dez anos, sendo actual vice-presidente do clube ténis da sua terra natal, Almeirim. Para além disso, acompanha a modalidade desde 2008, tendo feito já a cobertura do Portugal Open, entre outros, e tendo sido já comentador convidado da Eurosport para a modalidade.                                                                                                                                                 O Miguel não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

O Miguel jogou ténis durante mais de dez anos, sendo actual vice-presidente do clube ténis da sua terra natal, Almeirim. Para além disso, acompanha a modalidade desde 2008, tendo feito já a cobertura do Portugal Open, entre outros, e tendo sido já comentador convidado da Eurosport para a modalidade.                                                                                                                                                 O Miguel não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA

  • 00DIAS
  • 00HORAS
  • 00MINUTOS
  • 00SEGUNDOS
FC PORTO x ESTORIL PRAIA
SPORTING CP x SANTA CLARA
PAÇOS FERREIRA x SL BENFICA