Cabeçalho modalidadesDos incontáveis encontros de ténis que vi na minha vida, um de que nunca me irei esquecer é a final do US Open 2009. Federer era rei e senhor do circuito ATP na altura, tendo ganho Roland Garros e Wimbledon nesse ano e sendo número 1 mundial por larga margem. Era também rei e senhor em Nova Iorque, onde procurava o seu sexto título seguido, o que seria um recorde na Era Open (até hoje ainda nem conseguiu ganhar o mesmo Grand Slam seis anos seguidos).

O seu rival era, pelo terceiro ano seguido na final em Nova Iorque (Djokovic 2007, Murray 2008) um jovem de 20 anos na sua primeira final de um torneio do Grand Slam. Del Potro tinha causado imensos problemas a Federer nas meias-finais de Roland Garros e tinha vencido Nadal 6-2 6-2 6-2 nas meias-finais em Nova Iorque e com o seu jogo baseado na consistência e profundidade de pancadas e uma direita bombástica pensava-se que seria uma questão de tempo até conquistar grandes títulos, mas que, tal como tinha acontecido a Djokovic e Murray, a pressão duma primeira final de Grand Slam contra alguém da craveira de Federer seria demasiado elevada.

O início da final parecia confirmar essas previsões, com Federer a vencer o primeiro set facilmente e a encontrar-se a servir para ganhar o segundo set, 30-0 acima. Mas de repente uma série de direitas vertiginosas de del Potro apanharam Federer de surpresa e viraram o rumo dos acontecimentos. O Argentino quebrou o serviço de Federer e venceu o segundo set no tie-break. A inexperiência del Potro nestas andanças revelou-se de novo no terceiro set, em que o Argentino esteve um break acima mas acabou por perder, fazendo múltiplas duplas faltas no último jogo. Parecia tudo encaminhado para o desfecho previsível, mas o que aconteceu a partir daí é uma grande parte da lenda que se tornou del Potro no circuito ATP apesar duma carreira destruída por lesões. Del Potro começou a bater direitas cada vez mais fortes e a mostrar nervos de aço nos pontos importantes, forçando uma quinta partida para decidir o título.

Na partida decisiva, del Potro mostrou estofo de campeão e esteve absolutamente imparável, batendo um winner de direita atrás de outro até completar a enorme surpresa e levantar o troféu. Era a primeira vez que Federer perdia em Nova Iorque desde 2003 e a primeira vez que perdia numa final dum torneio dum Grand Slam para outro jogador que não Rafael Nadal. Del Potro tinha confirmado o seu estatuto de grande promessa e futuro grande campeão, alguém que todos os amantes da modalidade estavam ansiosos por acompanhar na década que se avizinhava. Como sabemos, as coisas não correram bem como previsto, mas esta final do US Open 2009 permanece um momento icónico na história da modalidade.

[ot-video type=”youtube” url=”https://www.youtube.com/watch?v=Xxb4MIsBBsg”]

Foto de Capa: Metro

Comentários