Cabeçalho modalidadesA temporada tenística teve o seu início logo no dia 1 de janeiro, mas é entre os dias 16 e 29 de janeiro que iremos assistir às primeiras grandes emoções da época. O Australian Open marca o regresso dos atletas ao piso duro, naquele que será o primeiro torneio do Grand Slam da temporada.

Já na Oceânia, e ao longo da presente semana, os portugueses Gastão Elias e João Sousa têm dado boas indicações nos torneios que se encontram a disputar. Se em Sydney Gastão Elias foi eliminado na segunda ronda, em Auckland João Sousa continua a lutar pela conquista do seu terceiro título num torneio ATP 250.

Fonte: João Sousa
Fonte: João Sousa

O tenista vimaranense tem, até ao momento, apresentado uma solidez superior ao habitual no seu jogo, bem como algumas melhorias do meio court para a frente. Porém, a análise à prestação de João Sousa parece ser, por ora, um pouco prematura dado que este se encontra ainda em competição no ASB Classic. Já Gastão Elias, pese embora a eliminação numa fase inicial do quadro principal da competição, fez um torneio em crescendo, que culminou numa soberba exibição frente ao austríaco Dominic Thiem.

Ainda no qualifying, Gastão Elias começou por vencer o veterano italiano Luca Vanni, antigo top 100 mundial, pelos parciais de 6-4, 4-6 e 6-2. O encontro teve uma duração aproximada de duas horas e foi marcado, acima de tudo, por diversos erros não forçados de parte a parte. Seguiu-se o georgiano Nikoloz Basilashvili, número 94 do ranking ATP, encontro que Gastão venceu pelos parciais de 7-6(1) e 6-4, ao fim de 1h51m.

Já após garantir a entrada no quadro principal, Gastão Elias defrontou o jovem australiano Christopher O’Connell, número 238 do ranking ATP e também ele oriundo do qualifying, em condições de calor extremo. O jogo foi uma verdadeira batalha, com mais de duas horas de duração, que o tenista português acabou por vencer pelos parciais de 6-7(3), 6-4 e 6-1, depois de recuperar de uma desvantagem de 4-1 no segundo set. Na segunda ronda, Gastão Elias enfrentou Dominic Thiem, primeiro cabeça de série e atual número 8 do ranking ATP. Apesar de Gastão se ter apresentado ao seu melhor nível, com uma tremenda capacidade de luta e uma direita sempre muito afinada (e por vezes bombástica), a experiência e a melhor condição física do austríaco acabaram por se impor, levando à derrota do português pelos parciais de 6-7(5) 6-3 e 7-5. Dominic Thiem provou, mais uma vez, que tem qualidade de jogo suficiente para vir a ser, a curto prazo, um top 5 mundial e um tenista que deve ser tido em conta na luta pela vitória de torneios do Grand Slam.

Anúncio Publicitário
Fonte: Aircel Chennai Open
Fonte: Aircel Chennai Open

Considerando os recentes desempenhos de João Sousa e de Gastão Elias, bem como o sorteio do quadro principal do Australian Open, pode afirmar-se que as expetativas para a competição são um pouco diferentes no que concerne aos tenistas portugueses. A Gastão saiu a “fava” Nick Kyrgios, tenista “da casa”, número 14 do ranking ATP, e um dos melhores jogadores jovens da atualidade. É certo que Kyrgios não tem mentalidade de campeão, mas também é evidente que apenas isso o afasta do top 8 do ténis mundial já que, tecnicamente, este apresenta uma qualidade muito acima da média (sobretudo ao nível do serviço e da pancada de direita). Assim sendo, parece pouco provável que o tenista da Lourinhã consiga avançar além da primeira ronda da competição.

Por outro lado João Sousa, a apresentar provavelmente o seu melhor ténis de sempre, irá defrontar outro tenista “da casa”, igualmente jovem, e igualmente promissor: Jordan Thompson, atual número 75 do ranking ATP. Apesar do desgaste de Auckland, que pode comprometer as aspirações do “Conquistador” no Australian Open, face à alguma inconsistência que Thompson ainda apresenta no seu jogo parece possível que João Sousa avance para a segunda ronda da competição. Aí, provavelmente, defrontará Dominic Thiem, número 8 do ranking ATP e um dos melhores tenistas da atualidade. Em sete confrontos anteriores João Sousa apenas venceu o austríaco numa ocasião, vitória essa conquistada em indoor. Numa grande competição como o Australian Open parece pouco provável que Dominic Thiem não faça prevalecer o seu melhor ténis frente a João Sousa, sendo assim pouco crível que o português consiga avançar para além da segunda ronda da competição.

Foto da capa: Apia International Sydney

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

Artigo anteriorAC Milan: Este clube (já) não é para velhos
Próximo artigoMercado de Inverno
Apaixonado por futebol desde a segunda infância, Francisco Sampaio tem no FC Porto, desde esse período, o seu clube do coração. Apesar de, durante os 90 minutos, torcer fervorosamente pelo seu clube, procura manter algum distanciamento na apreciação ao seu desempenho. Autodidata em matérias futebolísticas, tem vindo recentemente a desenvolver um interesse particular pela análise tática do jogo. Na idade adulta descobriu a sua segunda paixão, o ténis, modalidade que pratica de forma amadora desde 2014.                                                                                                                                                 O Francisco escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.