jogadoresqueadmiro

Sabia que, um dia destes, este texto teria de ser feito. Acredito que não será tão complicado quanto uma possível Carta Aberta, que poderei fazer na altura em que se retirar, mas não quero, para já, sequer pensar nessa possibilidade, de não termos o privilégio de ver um jogador como este nos courts…

Apesar da sua grandeza ser vista muito além dos números, é importante salientar o que Roger Federer tem feito, ao longo da sua impressionante carreira, 18 torneios do Grand Slam; 24 Masters 100 (no total, 89 torneios ATP); um recorde com 302 semanas como número 1 mundial (sendo que esteve cerca de 237 semanas seguidas, outro recorde), entre 2004 e 2012; tem o Grand Slam de Carreira; é o único a ter vencido por 3 vezes os 3 de 4 torneios do GS na mesma temporada; e é o único da história a ter, pelo menos, 5 vitórias em 3 dos 4 Grand Slam’s existentes.

Aliado a isto, apresenta 28 finais do Grand Slam disputadas; é recordista com 6 títulos do ATP World Tour Finals; tem 4 prémios consecutivos nos Laureus, que são dos mais importantes prémios para qualquer desportista; tem 2 medalhas em Jogos Olímpicos, uma de ouro ganha em pares (Pequim 2008) e uma de prata ganha em singulares (Londres 2012); apresenta mais de 1300 partidas disputadas em toda a carreira, sendo essa uma das maiores marcas da história; e já venceu, igualmente a Taça Davis, pela sua seleção, a Suiça, em 2014.

Essa Taça Davis marcou mais um importante feito histórico de Federer, visto que apenas ele, e o bem conhecido ex-tenista norte-americano, Andre Agassi, conquistaram os 4 Grand Slam’s, a Taça Davis, a medalha de ouro olímpica e o ATP World Tour Finals (Rafael Nadal poderá ser o próximo a juntar-se a este elenco de luxo, mas precisará de vencer um ATP World Tour Finals).

Anúncio Publicitário
Dos seus 18 títulos do Grand Slam, 7 deles vêm de Wimbledon Fonte: sportskeeda.com
Dos seus 18 títulos do Grand Slam, 7 deles vêm de Wimbledon
Fonte: sportskeeda.com

Tem mais de 1050 vitórias – 316 correspondem aos eventos de Grand Slam, sendo, mais uma vez, o número 1, neste aspeto, em todo o circuito masculino – desde que começou o seu percurso profissional, e é o segundo tenista com mais vitórias de sempre, apenas atrás de Jimmy Connors, que conquistou 1242 vitórias na sua carreira.

Dados impressionantes? Sem dúvida. E o que torna isto tudo tão “monstruoso” é que ainda se poderia dedicar mais uns parágrafos às estatísticas e aos recordes de Federer. Aquele menino, que começou a jogar aos 8 anos, provavelmente nunca achou que chegasse a este patamar, mas a verdade é que a sua evolução foi realmente bem acompanhada e, apesar de nos primeiros anos não ter sido um jogador assim tão mediático, acabou por ganhar, a seu tempo, todas as atenções possíveis até chegar ao brilhante profissional, e pessoa, que é hoje.