A portuguesa Maria João Koehler, 668.ª do Ranking WTA, mas com um máximo de carreira de 102.ª em 2013, regressou quase dois anos depois a uma final. Desta feita, foi na Cidade Berço, no Hendo Guimarães Open. A sua adversária era a jovem Zeel Desai, indiana que ocupa o posto 661.ª do Ranking.

Para chegarem à final, aquelas que eram, respetivamente, quinta e quarta cabeças de série, tiveram testes bem diferentes. Maria João Koehler não cedeu um único set para lá chegar, eliminando a compatriota Bertschmann na primeira ronda e depois Bejenaru e Gravouil para chegar às meias, onde liderava por 6-2 quando Lily Miyazaki foi forçada a desistir por doença. Já Zeel Desai teve bem mais dificuldades e apenas por uma vez não foi forçada a ir ao terceiro set. 

Ora, a partida final teve, no entanto, percalços. Com o tempo algo instável no norte do país, a organização decidiu adiar a final da manhã para a tarde. Se esta solução até poderia ser compreendida, a verdade é que o tempo não melhorou, pelo contrário, forçando a uma decisão algo controversa, com a mudança do jogo do court central para um interior.

O maior problema? É que os campos exteriores em que o resto do torneio foi disputado eram de piso rápido, enquanto que o interior que acolheu a final era de terra batida, mudando muito do figurino do jogo e da estratégia das jogadoras.

Anúncio Publicitário

A portuense entrou melhor na partida e dominou por completo o primeiro set, fechando em 6-1 para assumir a liderança. No entanto, a sua adversária reencontrou-se no segundo parcial e o naquele que foi o set mais equilibrado, a indiana conseguiu mesmo levar a melhor e, com 3-6, colocou o marcador em igualdade e obrigou a ir à negra.

Após perder o primeiro set da semana, Maria João Koehler não se deixou ir abaixo e respondeu como uma verdadeira campeã, assumindo o controlo e voltando a vergar Desai à sua vontade com novo 6-1 para assegurar uma merecida conquista do Hendo Guimarães Open.

Ao triunfar neste torneio ITF de 15.000 dólares, Koehler conquista o seu primeiro troféu de singulares desde 2012 em Astana, Cazaquistão, e o quarto de carreira, o terceiro em solo nacional a juntar a Amarante e Cantanhede, ambos em 2009.

Cajab Awad e Patricia Bejenaru venceram em pares
Fonte: Clube Ténis Guimarães

Na vertente de pares, a final já se havia disputado no sábado, Zeel Desai também foi finalista vencida, ao lado da romena Cristina Ene, perdeu para a dupla da libanesa Cabaj Awad e da romena Patricia Bejenaru.

O torneio marcou ainda a estreia em torneios deste nível da promessa Matilde Jorge, que deu boa conta de si, apesar da eliminação logo na primeira ronda.

Foto de Capa: Clube Ténis Guimarães