Ainda falta realizar o sorteio do quadro principal, mas já começa a ganhar forma mais uma edição do Millennium Estoril Open, o momento alto anual do ténis em Portugal. O cartaz não é de luxo, mas conta com nomes importantes do passado e do presente do circuito ATP dando garantias, no mínimo, de encontros de ténis bem disputados e que não desapontem os aficionados da modalidade.

Se entretanto não houver novidades, os oito cabeças de série do torneio serão Kevin Anderson (8.º no rankingATP), Pablo Carreño Busta (11.º), Kyle Edmund (23.º), Gilles Muller (28.º), David Ferrer (33.º), Albert Ramos (40.º), Robin Haase (43.º) e Leonardo Mayer (45.º). Quase todos estes tenistas são já veteranos, como o “reformado” Lleyton Hewitt (que aceitou regressar à competição para jogar, no Estoril, na variante de pares), mas não estão ainda “acabados” para a modalidade. Ainda assim, e apesar de Kevin Anderson ser até o atual vice-campeão do USOpen, o principal favoritismo parece recair sobre Pablo Carreño Busta, campeão em título do Millennium Estoril Open, jogador extremamente consistente e, bem ao jeito da “escola espanhola”, particularmente competente em terra batida.

Entre os portugueses a principal esperança continua a ser João Sousa, sobretudo num momento em que este surge num excelente momento de forma, como há já muitos meses não se via. O português vem de bons desempenhos no piso rápido norte-americano e no pó de tijolo de Marraquexe e, como tal, mesmo não sendo cabeça de série do torneio, parece encontrar-se no momento certo para quebrar a malapata que tem representado para si, nos últimos anos, o Millennium Estoril Open.

Será que João Sousa faz, “em casa”, jus ao seu estatuto?
Fonte: Millennium Estoril Open

O torneio ATP 250 português tem ainda, no seu elenco, tenistas que são verdadeiras pérolas e que podem marcar o futuro do ténis mundial. Ter a oportunidade de, em tão tenra idade, assistir a encontros de jogadores como Frances Tiafoe, Stefanos Tsitsipas ou Alex de Minaur é, per se, razão mais do que suficiente para acreditar que grandes momentos irão ser vividos no pó de tijolo do Estoril.

A festa do ténis está a chegar a Portugal e, com ela, a possibilidade de fazer com que a modalidade chegue a um público cada vez mais abrangente. Acima de tudo, este é um torneio que deve ajudar a desmistificar a ideia de que o ténis é uma modalidade “de elites” e que mostre aos portugueses que nem só o futebol é um desporto entusiasmante e competitivo.

Foto de Capa: Millennium Estoril Open

Comentários