cab ténis

João Sousa leva, esta temporada, dez encontros disputados ao cabo de dois meses, tendo um registo igual de vitórias e derrotas. Significa isto que a época começou de feição para o tenista português ou nem por isso? O ano passado, João Sousa concluiu o ano com um registo de 24 vitórias para 36 derrotas, tendo atingido duas finais e uma meia-final de eventos do circuito ATP, concluindo o ano no 54.º lugar do ranking mundial.

Pode-se assim, generalizando, afirmar que o ano de 2014 foi bom para João Sousa, depois de, em 2013, ter conquistado o seu primeiro evento do circuito ATP. Este ano, o tenista de Guimarães começou a temporada em Auckland onde saiu derrotado na ronda inaugural, mas que lhe permitiu partir para um Austrália Open onde venceu duas rondas pela primeira vez na sua carreira. Ainda assim, João Sousa não fez mais do que a sua obrigação face aos adversários que lhe foram aparecendo no desenrolar do torneio.

O melhor tenista português defrontou Andy Murray e perdeu em três sets frente a um adversário que defrontou já por inúmeras vezes e que em todas elas saiu derrotado sem ter rubricado grandes exibições. As derrotas de Sousa frente a tenistas como Murray nada mais provam a de que o tenista português não está ainda ao nível de poder lutar por grande surpresas, embora racionalmente se tenha de afirmar que na vertente masculina elas são mais difíceis de aparecer do que na feminina. Ainda assim e como escrevi anteriormente, João Sousa e Frederico Marques têm de efectuar um trabalho a olhar para cima e não com a preocupação de manter aquilo que foi conquistado até ao momento.

João Sousa conquistou já uma meia-final quando a época vai na sua fase inicial e tem tudo para conquistar mais resultados de destaque agora que já está mais do que habituado à alta roda do circuito mundial de ténis. Para além disso, o tenista português é a grande aposta do Millenium para a promoção do novo Estoril Open, e todos esperam que João Sousa chegue ao torneio numa das melhores fases da sua temporada, tendo em conta que toda a campanha de lançamento do torneio tem sido feita à volta da imagem do tenista.

No ano passado, João Sousa tinha a responsabilidade de provar que era tenista para andar na alta roda do ténis mundial e cumpriu-a, mas este ano o peso é ainda maior sob os seus ombros. Num país parco em sucessos ao mais alto nível, João Sousa é, hoje em dia, o maior embaixador do ténis nacional e tudo se começa a construir à sua volta, seja a promoção do Estoril Open, seja o piso escolhido para Portugal disputar a Taça Davis frente a Marrocos, na próxima semana. Não digo que o ténis em Portugal esteja refém do sucesso de João Sousa, mas que o desenvolvimento da carreira do português terá certamente influência, isso é inegável.

Nota ainda final para a homenagem que será levada a cabo a Frederico Gil na próxima eliminatória da Taça Davis, disputada no Jamor. Inteiramente merecida.

Foto de Capa: Facebook Oficial de João Sousa

Comentários