logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Obrigado, Del Potro! | Ténis

O fim de um dos maiores tenistas dos últimos anos está quase confirmado. Depois da despedida que fez no ATP de Buenos Aires e de falhar o ATP Rio de Janeiro, parece que, muito possivelmente, terminou a carreira de Juan Martin del Potro.

Os adeptos mais recentes da modalidade poderão não conhecê-lo, pois, antes do tenista argentino regressar no início do mês, a última vez que tinha jogado foi em junho de 2019.

Del Potro é um tenista que sempre foi adorado por todos. Entrou no top 10 do ranking ATP, com apenas 20 anos. Durante toda a carreira, o tenista argentino conquistou 22 títulos individuais e um em pares, com Travis Parrott, no ATP de Indianápolis. Apenas conquistou um Grand Slam, e foi no US Open, em 2009. No país de João Sousa e companhia, conquistou o Open de Estoril em 2011 e 2012.

O tenista argentino também representou muito bem a sua nação, ele foi a estrela da única David Cup da história da Argentina, conquistou-a em 2016, com Federico Delbonis, Leonardo Mayer, Guido Pella, Juan Mónaco, Renzo Olivo e Carlos  Berlocq.

E não foi somente em competições de equipa. Nos Jogos Olímpicos de Verão, Del Potro venceu duas medalhas: bronze em 2012 e prata em 2016. Perdeu a meia-final de 2012 frente a Roger Federer, finalista vencido na mesma edição, mas depois derrotou Novak Djokovic para conquistar a prata. Em 2016, apenas perdeu para Andy Murray, na final, sendo que o britânico se tornou no primeiro tenista de sempre a vencer duas medalhas de ouro, na competição individual.

 

 

Como já foi referido anteriormente, Del Potro é um tenista muito adorado, dentro e fora do court. Dentro da quadra, o argentino era muito conhecido pelas suas direitas quase indefensáveis. Fora da quadra, um dos maiores tenistas da Argentina de sempre contava sempre com apoio dos adeptos, e notou-se no último encontro.

Depois de vários anos longe da quadra devido às constantes lesões, Juan Martín Del Potro fez o seu regresso e, possivelmente, a sua despedida das competições profissionais. Na conferência de imprensa de antevisão ao ATP de Buenos Aires, Del Potro afirmou que seria uma “tour de despedida”.

Na possível despedida, Del Potro foi derrotado pelo compatriota e amigo, Federico Delbonis, num jogo que durou, aproximadamente, 1h30m. No último serviço do encontro, o experiente tenista não aguentou a emoção do jogo e caiu-lhe algumas lágrimas. Depois do jogo, deixou a sua fita na rede e disse que ainda não sabia se ia participar no ATP de Rio de Janeiro, e acabou por não ir.

Uma carreira luxuosa de momentos, que começou a ver o seu fim devido às lesões no joelho direito. Del Potro ainda não fechou as portas, mas garantiu que só volta se acontecer um milagre. Foi um dos poucos que conseguiu dar luta ao Big Four – Novak Djokovic, Roger Federer, Rafael Nadal e Andy Murray -, e foi o segundo maior “sol de maio” da Argentina na história do Ténis, apenas atrás de Guillermo Vilas.

Ainda não se sabe se o tenista argentino de 33 anos vai voltar a jogar algum dia, mas um grande, grande obrigado por tudo, Del Potro!

Foto de capa: Argentina Open

O Filipe saiu da Ilha de São Miguel, nos Açores, para tirar a Licenciatura de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Desde criança que é adepto de Futebol, tendo já sido árbitro. Para além do "desporto-rei", o Filipe também é apaixonado por Basquetebol e não falha no acompanhamento de Wrestling.

O Filipe saiu da Ilha de São Miguel, nos Açores, para tirar a Licenciatura de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Desde criança que é adepto de Futebol, tendo já sido árbitro. Para além do "desporto-rei", o Filipe também é apaixonado por Basquetebol e não falha no acompanhamento de Wrestling.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA