OS JOVENS…

Chega a altura de Grand Slam, e o que mais queremos ver são os jovens a surpreender. E, no Rod Laver Arena, é o que mais temos visto.

Andrey Rublev acabou por ser eliminado nos oitavos-de-final, contra Alexander Zverev. No entanto, não deixa de ter mérito pela sua participação. Lembre-se que, para além de uma incrível exibição, também o jovem russo de 22 anos já ganhou dois torneios preparatórios este ano.

No reverso da medalha, também temos Alexander Zverev neste destaque. Não é uma surpresa, visto que o tenista alemão já tem, há muito tempo, sobressaído aos olhos de quem acompanha ténis. Porém, continua por ter mérito pela chegada aos quartos-de-final.

Os dois jovens destaques deste torneio, Alexander Zverev e Andrey Rublev, enfrentaram-se nos oitavos-de-final, com triunfo do tenista alemão
Fonte: Australian Open

…MAS TAMBÉM OS «VELHOS» DESTAQUES

Durante a competição, como já tivemos oportunidade de falar, temos visto alguns jovens a destacar-se positivamente em court. Mas não só. Alguns “veteranos” do ténis mundial também se têm afirmado no primeiro Grand Slam do ano. Vejamos quais.

Um dos mais sonantes nomes nos “veteranos” é, sem dúvida, o de Stanislas Wawrinka. O tenista suíço de 34 anos já atingiu o seu auge há alguns anos, porém, está a mostrar que 2020 poderá ser o início de uma boa temporada. Para além de estar apuradíssimo para os quartos-de-final, também “Stan the Man” fê-lo a derrotar um dos mais enigmáticos jogadores da nova geração. Com parciais de 2-6, 6-2, 6-4, 6-7 e 2-6, Wawrinka dá asas e triunfa sobre o número quatro mundial, Daniil Medvedev.

Para além deste, Tennys Sandgren é um nome que não vemos regularmente. Mas, a verdade é que o tenista americano, sem darmos por ela, está nos quartos-de-final. De já 28 anos, em 2017 entrou para o top 100 do ATP, e, nesta edição do Open da Austrália, já ganhou a nomes como Fabio Fognini e Matteo Berrettini.

Comentários