Anterior1 de 2

Novamente o segundo Grand Slam do calendário tenístico, após uma atípica edição de 2020 que teve lugar em pleno outono e já depois da disputa do US Open, as melhores tenistas do mundo regressaram, na última quinzena, à terra batida de Roland Garros, onde Iga Swiatek (número nove mundial), procurava revalidar o título da época passada, desta vez já com o estatuto de favorita à vitória.

A PRIMEIRA SEMANA DE DESISTÊNCIAS E SURPRESAS

Já com uma candidata de fora do torneio devido a lesão – Simona Halep (3.ª), campeã de 2018, lesionou-se em Roma e não recuperou a tempo de jogar em Paris -, a competição viu, durante a primeira semana, muitas cabeças de série saírem de cena antes de tempo, algumas das quais devido a desistências. Não foi o caso de Angelique Kerber (27.ª), Petra Martic (23.ª), Johanna Konta (20.ª) ou Kiki Bertens (17.ª) que perderam o seu encontro de estreia.

Também na primeira ronda, Bianca Andreescu (7.ª) foi surpreendida por Tamara Zidansek (85.ª), uma das surpresas do treinador, enquanto Garbine Muguruza (13.ª) perdeu em apenas dois sets frente à jovem Marta Kostyuk (81.ª). Destaque ainda para a vitória de Sofia Kenin (5.ª) frente à antiga campeã Jelena Ostapenko (44.ª), bem como a despedida de Carla Suárez Navarro (118.ª), que regressou após vencer um problema de saúde, para encerrar a carreira com uma derrota em três partidas frente a Sloane Stephens (59.ª), num encontro em que teve match points.

Anúncio Publicitário

Já a segunda ronda, que viu Belinda Bencic (11.ª) perder com Daria Kasatkina (37.ª) e Sloane Stephens bater Karolina Pliskova (10.ª), ficou marcada por várias desistências, entre as quais a de Naomi Osaka (2.ª), que optou por abandonar o torneio depois da reação à sua decisão de não comparecer às conferências de imprensa. Devido a lesão, a número um mundial, Ashleigh Barty, desistiu durante o seu encontro com Magda Linette (45.ª), enquanto Petra Kvitova (12.ª) foi forçada a abandonar a competição depois de torcer o tornozelo durante os compromissos com a imprensa.

Ainda na primeira semana do Grand Slam gaulês, Aryna Sabalenka (4.ª) foi mais uma jogadora do Top 10 a ser vítima de Anastasia Pavlyuchenkova (32.ª), uma habitual tomba-gigantes, enquanto Elina Svitolina (6.ª) caiu perante Barbora Krejcikova (33.ª), uma das revelações da atual temporada. Por sua vez, Sloane Stephens continuou a sua boa prestação ao bater Karolina Muchova (19.ª), numa terceira ronda que viu também Jennifer Brady (14.ª), finalista do US Open, desistir no encontro com Coco Gauff (25.ª).

NOVOS NOMES EM EVIDÊNCIA E A QUEDA DAS ÚLTIMAS FAVORITAS

Chegados aos oitavos de final, apenas restavam cinco vencedoras de Grand Slams no quadro, mas quatro sairiam de cena nesta fase. Serena Williams (8.ª) sucumbiu perante Elena Rybakina (22.ª), Victoria Azarenka foi vítima da futura finalista Pavlyuchenkova, Maria Sakkari (18.ª) colocou fim ao ressurgimento de Sofia Kenin, enquanto a outra futura finalista, Krejcikova, terminou a boa campanha de Sloane Stephens.

Paula Badosa (35.ª) confirmou as boas indicações dadas nos últimos meses e chegou até aos quartos de final, sendo derrotada por Tamara Zidansek, mais uma das tenistas que ganhou um novo protagonismo neste torneio. Contudo, seriam as derrotas da campeã Swiatek frente a Sakkari e da jovem Coco Gauff diante de Krejcikova os principais destaques desta etapa da competição.

Nas meias-finais, se Pavlyuchenkova venceu em apenas dois sets, ainda que equilibrados, Krejcikova teve uma batalha épica com Sakkari, naquela que foi a mais longa semifinal feminina da história de Roland Garros e que terminou com um 9-7 no terceiro set, após 3h18.

Anterior1 de 2

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome