Cabeçalho modalidadesÉ já hoje, dia 7 de abril, que a seleção portuguesa de ténis irá entrar em campo para disputar o acesso ao playoff do Grupo Mundial da Taça Davis. A jogar em casa, nos courts cobertos de terra batida do CIF (Lisboa), Portugal terá do outro lado da rede a seleção da Ucrânia. Apesar do teórico favoritismo que poderia ser atribuído à seleção ucraniana, esta desloca-se a Portugal sem Alexandr Dolgopolov, Sergyi Stakhovsky e Ilya Marchenko, portanto…sem qualquer tenista do top 500 mundial!

Com estes dados em cima da mesa a seleção portuguesa, composta por João Sousa, Gastão Elias, Pedro Sousa e João Domingues parece agora apresentar-se como clara favorita nesta segunda ronda do Grupo I da Zona Europa/África da Taça Davis. A formação de leste desloca-se à capital portuguesa com Artem Smirnov (507º do ranking ATP), Denys Molchanov (759º), Mykyta Mashtakov (1558º), e Illia Biloborodko (sem ranking ATP) e, como tal, aparentemente sem armas para contrariar a maior qualidade dos tenistas portuguesas.

O sorteio ditou que 6ª feira, às 13h, entrarão em court Gastão Elias e Artem Smirnov, o mais bem cotado dos tenistas ucranianos que se deslocarão em Portugal. Pese embora Gastão Elias não esteja a atravessar um bom momento de forma, e mesmo considerando a menor concentração que tende a apresentar frente a adversários de menor valia, parece claro que o tenista da Lourinhã, número 90 do ranking ATP, tem recursos técnicos mais do que suficientes para derrotar Smirnov. Logo de seguida é a vez do número um português, João Sousa, medir forças com o jovem Mykyta Mashtakov. Também João Sousa, número 37 do ranking ATP parece estar num momento menos fulgurante do que aquele que apresentou no início da temporada, mas a diferença de qualidade entre os tenistas é de tal forma marcada que, provavelmente, o dia terminará com Portugal a adiantar-se para 2-0 na eliminatória.

Fonte: João Sousa
Fonte: João Sousa

Sábado, dia 8 de abril, é dia de juntar em court a dupla Sousa e Elias que, às 15h, defrontarão Illia Bilobotodko e Denys Molchanov. Sousa e Elias não são especialistas na vertente de pares, pese embora comecem a apresentar uma dinâmica interessante quando se juntam para esse fim, mas mais uma vez a diferença de qualidade entre os protagonistas é de tal forma significativa que, caso não haja (grandes) surpresas, o mais provável é que este seja o dia no qual Portugal selará o apuramento para o playoff do Grupo Mundial da Taça Davis.

Domingo, dia 9 de abril deverá ser, a priori, um dia apenas para cumprir calendário. Teoricamente, às 12h, João Sousa defrontará Artem Smirnov e, de seguida, será a vez de Gastão Elias medir forças com Mykyta Mashtakov. Porém, caso a eliminatória esteja, como se espera, já decidida, o mais provável é que o capitão da seleção portuguesa, Nuno Marques, dê oportunidade a Pedro Sousa (209º do ranking ATP) e João Domingues (278º) para ganharem mais alguma experiência em competições internacionais e somarem mais um encontro envergando a camisola da seleção nacional.

Anúncio Publicitário
Fonte: Pedro Sousa
Fonte: Pedro Sousa

É sabido que, no ténis, as surpresas podem sempre acontecer e, por isso mesmo, Nuno Marques alertou para a necessidade de os tenistas portugueses encararem todos os encontros como se estivessem a disputa-los frente aos jogadores ucranianos mais cotados da atualidade. Porém, esta é também uma oportunidade para, como afirmou Gastão Elias, fazer história no ténis português. Assim sendo, 23 anos depois da única presença num playoff do Grupo Mundial da Taça Davis, perdido em 1994 frente à seleção da Croácia na cidade do Porto, Portugal tem todas as condições para escrever, pela segunda vez na história, uma das mais belas páginas do ténis português.

Foto de capa: João Sousa