No que ao capítulo estatistico diz respeito, destaque para os 9 aces, 76% de pontos ganhos com o primeiro serviço e ainda 77% de eficácia em break points. João Sousa foi (muito) melhor que o austríaco, sobretudo nos momentos importantes.

Se no primeiro encontro desta eliminatória João Sousa partia como grande favorito, poucos acreditavam que Gastão Elias fosse capaz de bater Dominic Thiem. A verdade é que Thiem chegou a Guimarães num momento de forma impressionante. Nos últimos 14 encontros venceu 13, batendo, por exemplo, Rafael Nadal e David Ferrer, ambos em terra batida. Desta forma, conquistou dois importantes títulos (ATP 250 Argentina Open e ATP 500 Mexico) e alcançou o seu melhor ranking de sempre (14º). Contudo, o favoritismo não ganha jogos e foi isso mesmo que Gastão Elias fez questão de provar esta tarde.

Fonte: Tenis Portugal
João Sousa voltou às vitórias na sua terra natal
Fonte: Ténis Portugal

O português, que tinha obrigado Dominic Thiem a salvar um match point no encontro que disputaram em Buenos Aires no mês passado, entrou muito bem no encontro. O austríaco, provavelmente ainda a ambientar-se às condições de jogo, foi surpreendido logo no jogo de serviço inaugural e viu Elias adiantar-se para 3-0 no marcador. Gastão, que se mostou sempre bastante agressivo, acabaria mesmo por conquistar o primeiro set por 6-3.

Na segunda partida, que se revestia de especial importância, sobretudo para Thiem, Gastão voltou a jogar bastante bem. No entanto, e como seria de esperar, Dominic Thiem elevou o nível do seu jogo e, quando o resultado estava em 6-5 favorável à seleção da Áustria, o jovem de 22 anos acabaria mesmo por quebrar o serviço do português conquistando, consequentemente, o segundo set. Apesar da sua tenra idade, Thiem tem já bastante experiência. Desta forma, não foi surpreendente que entrasse no terceiro set muito concentrado, fazendo o break logo na primeira vez em que o português serviu. O austríaco conquistaria, assim, a terceira partida por 6-3.

Quando muitos já previam que o quarto set fosse uma mera formalidade, o sintrense voltou a encontrar o nível com que tinha inicado o encontro. Tal como havia acontecido nos sets anteriores, o break surgiu cedo. O português somou três jogos consecutivos a vencer de forma muito convincente a quarta partida pelo impressionante parcial de 6-1. Nota para o facto de Gastão, mesmo com uma certa “colaboração” de Theim, ter fechado o set com um poker de aces (4 aces no mesmo jogo).

Comentários