cab ténis

Está na rua o cartaz oficial e (quase) completo do Millenium Estoril Open, onde só lesões de última hora podem trocar as voltas à organização. Não há top’10, mas há top’20 e um quadro de inscritos equilibrado, que pode não garantir o melhor torneio mas garante bons jogos com tenistas jovens e menos jovens a pisarem o “pó de tijolo” do Estoril.

Para além de Nick Kyrgios, que vai estar lesionado até bem perto da data do Estoril Open, numa má noticia para os portugueses, que esperavam um australiano na melhor forma; e de Borna Coric, confirmado um dia antes da lista completa pela organização, estarão no Estoril Open tenistas como Feliciano Lopez, Richard Gasque e o vencedor da última edição do Portugal Open, Carlos Berlocq.

Não destaquei aqui os melhores tenistas mas sim aqueles que considero darem melhor espectáctulo, embora faltem ainda outros como Tommy Robredo, Kevin Anderson, e até mesmo um dos tenistas com melhor técnica no circuito, o cipriota Marcos Baghdatis, actualmente orientado pelo português António Van Grichen.

Isto tudo para dizer que o cartaz não é mau. Pelo contrário, é bem bom e bem equilibrado, tendo em conta que o último inscrito, Ricardas Berankis, ocupa o 76.º lugar no ranking mundial.

Anúncio Publicitário

A organização tem ainda quatro wild-cards para atribuir, sendo que é neste ponto que a estratégia é totalmente desconhecida: serão os convites para dar à “prata da casa”, a tenistas como Gastão Elias e Rui Machado, ou até mesmo Frederico Gil (embora seja pouco provável, dado o actual momento do português), ou serão para surpreendentemente apresentar algum tenista de top contratado à última da hora.

O leque de jogadores que a equipa de João Zilhão, novo director do torneio, reuniu não garante assim que quem não acompanha ténis vá propositadamente ao Estoril para assistir a este evento, mas garante certamente que os adeptos da modalidade se desloquem ao clube para assistir a este renovado torneio. Quem acompanha ténis sabe que tem aqui matéria prima para bons embates, com tenistas para todos os gostos e feitios, isto já para não falar de características específicas de alguns deles que são verdadeiramente apaixonantes.

Claro que, a par de todos estes jogadores, temos ainda o português João Sousa, que será um dos grandes, senão mesmo o maior atractivo, desta edição do Estoril Open, e que é a grande aposta da organização, acima de qualquer “estrela” do ténis.

O tenista português tem estado a fazer uma temporada assente no piso rápido, mas todos esperam que chegue em boa forma à terra batida do Clube Ténis do Estoril para fazer valer o estatuto que lhe tem sido atribuído neste evento.

Foto de Capa: Millenium Estoril Open

Artigo anteriorRio Ave 2-1 Benfica: Apesar de tudo… igualmente encarnado
Próximo artigoCD Nacional 1-1 FC Porto: Choupana sem Luz
O Miguel jogou ténis durante mais de dez anos, sendo actual vice-presidente do clube ténis da sua terra natal, Almeirim. Para além disso, acompanha a modalidade desde 2008, tendo feito já a cobertura do Portugal Open, entre outros, e tendo sido já comentador convidado da Eurosport para a modalidade.                                                                                                                                                 O Miguel não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.