Novak Djokovic

Djokovic deu a sapatada na crise. Depois de ter regressado ao seu “porto-de-abrigo” que é o seu mentor Marian Vajda, toda a nuvem cinzenta que pairava sob a cabeça do sérvio parece ter desaparecido e ter sido substituída lentamente pela armadura de guerra que tantas e tantas vezes vimos Djoko envergar.

Está forte dentro e fora de campo. Tem de ser considerado favorito depois daquilo que já o vimos fazer nos últimos dois meses, quer agora em Flushing Meadows, como na tour que antecede esta prova. Se conseguir manter a regularidade mostrada no serviço e adaptar-se tão cedo quanto possível às “balas de canhão” que sairão da raquete de Del Potro terá uma grande chance de vencer pela 15.ª vez o argentino, sendo este o 19.º encontro disputado entre os dois. Resta apenas juntar um fator que o sérvio não pode controlar e que o tem deixado bastante incomodado ao longo da quinzena em Nova Iorque – o clima húmido.

Como é sabido, Djokovic sofre bastante com condições climatéricas extremas, e esse tem sido um tema bastante abordado nas suas conferências de imprensa este ano em Nova Iorque. De acordo com a previsão meteorológica, a humidade rondará os 65% no fim de tarde/noite em Flushing Meadows e esse pode ser um fator que agite as probabilidades de o sérvio sair vencedor deste encontro. 

Anúncio Publicitário