Cabeçalho modalidadesFoi um desfecho completamente inesperado dado o resto do ano que Wawrinka teve; já para não falar dos match points que teve de salvar na terceira ronda contra Daniel Evans. Mas a verdade é que a quinzena nova-iorquina acabou com o Suíço a juntar este título ao Open da Austrália, que ganhou em 2014, e ao Roland Garros, em 2015.

Não foi apenas contra Evans que Wawrinka pareceu mal encaminhado: Nishikori esteve um set e break acima nas meias finais, com inúmeras oportunidades de ganhar o segundo set, e foi quiçá traído pela fadiga de uma dura vitória em 5 sets contra Murray nos quartos de final. Mesmo na final, Djokovic ganhou o primeiro set e esteve perto de ficar 2-1 acima. Tal como Nishikori nas meias finais, o Sérvio desperdiçou imensos pontos de break. Ao fim e ao cabo, a chave para a vitória de Wawrinka acabou por ser a sua capacidade de jogar bem os pontos mais importantes. É essa força mental que lhe dá 3 títulos do Grand Slam em 3 presenças na final.

Apesar da derrota, Djokovic mantém-se como incontestável número 1 mundial, tendo aliás as suas possibilidades de acabar o ano nessa posição aumentado ainda mais com a derrota de Murray nos quartos de final. Na corrida para Londres, o top 8 parece bem definido – Djokovic, Murray, Wawrinka, Raonic, Nishikori, Monfils, Thiem, Nadal –, com Berdych a mais de 700 pontos de Nadal.  Salvo surpresas ou desistências, os oito jogadores supracitados deverão estar presentes na arena O2 em Novembro.

João Sousa não conseguiu passar da terceira ronda Fonte: João Sousa
João Sousa não conseguiu passar da terceira ronda
Fonte: João Sousa

No que toca à participação portuguesa no torneio, João Sousa alcançou a terceira ronda para concluir o seu melhor ano em torneios do Grand Slam; deu alguma réplica a Dimitrov depois de um mau começo, mas ainda não foi desta que chegou aos oitavos do torneio. Gastão Elias serviu para a sua primeira vitória de sempre num torneio do Grand Slam, contra Stakhovsky, mas infelizmente ainda não foi desta. No torneio de pares, Sousa e Elias perderam 7-5 no set decisivo na primeira ronda contra Murray e Suares – a dupla que se viria a sagrar campeã. Foi uma prestação honrosa da dupla portuguesa face a um sorteio madrasto.

Foto de capa: US Open

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por Mafalda Carraxis