cab Volei

O que é isto afinal, da AOEV? A Confederação Europeia de Voleibol (CEV), em reuniões que precederam as meias-finais e a final do Campeonato da Europa de 2013 em seniores masculinos, disputadas no final do mês de setembro, em Copenhaga, apresentou este novo organismo, que não é nada mais, nada menos do que, em francês, Association de L’Ouest Européenne de Volley-Ball; ou seja, a Associação Zonal de Voleibol do Oeste Europeu.

Integrando nesta associação mais 7 países europeus – Espanha, Alemanha, Bélgica, Itália, Holanda, França e Suíça –, este novo organismo tem como vice-presidente e tesoureiro o atual presidente da Federação Portuguesa de Voleibol, Vicente Araújo.

Países que integram nova associação. http://www.fpvoleibol.pt
Países que integram nova associação
Fonte: fpvoleibol.pt

Ora bem, a estrutura do voleibol mundial tem como “organismo pai” a Federação Internacional (FIVB), que por si só nos traz mais cinco confederações que incluem outras largas centenas de federações nacionais, e estas últimas têm integradas as associações regionais.

O que de há alguns anos para cá se tem vindo a observar, face ao leque enorme de competições internacionais que não só a própria FIVB organiza e que têm como foco de importância maior o campeonato do mundo de voleibol, foi a criação de organismos suplementares que fomentam uma espécie de “diálogo” internacional que o voleibol hoje em dia reflete.

Anúncio Publicitário

O caso desta recém-criada AOEV é que se trata de mais uma associação zonal da Confederação Europeia que se junta às outras quatro já existentes.

Mas quais são as vantagens disto para o voleibol português, então? Pois bem, primeiramente, a presença do próprio presidente da federação portuguesa na direção deste organismo contempla uma importante ligação à realidade interna e às possibilidades de alastrar essa realidade a um nível internacional.

Todos os anos há uma série de provas que unem equipas de todo o mundo e de todas as confederações e trazem jogos a pavilhões do globo inteiro, movendo equipas de arbitragem, multidões fanáticas, várias culturas que se fundem e órgãos media que divulgam estas competições mundo fora.

A AOEV tem como principal objetivo, além da união dos países que a integram a nível competitivo, uma clara aposta na formação.

A minha opinião, tendo em conta o que está fundamentado no mundo do voleibol e pela minha experiência, é sempre que a formação é um passo importante na carreira de um voleibolista, pois o voleibol tem uma hierarquia de aprendizagem que ao longo da faixa etária é cumprida e garante um futuro jogador de sucesso.

Para já, e esperando que estes objetivos sejam cumpridos, a Federação Portuguesa de Voleibol irá acolher hoje (dia 22 de outubro) a primeira reunião do Executivo da AOEV, que com certeza irá traçar o plano competitivo que alargará horizontes para o voleibol português.