Cabeçalho modalidadesO Sporting Clube de Espinho está de regresso aos mais altos voos do voleibol nacional. Após ter vencido a Taça de Portugal no final da época passada, também frente ao SL Benfica, o clube junta agora ao palmarés mais uma vitória da Supertaça. A “raça vareira”, como é designada pelos espinhenses, levou o emblema de Aveiro a derrotar os campeões nacionais por 3-2.

O “caneco” fugia ao Espinho desde a época de 1999/2000 e voltou a surgir na altura mais inesperada, diga-se. O mercado de verão foi cruel para os vareiros que viram muitos dos seus atletas abandonar a equipa. Um dos grandes símbolos do clube, o veterano Miguel Maia, assinou pelo Sporting CP – que regressa ao voleibol 22 anos depois. E como um mal nunca vem só, o SC Espinho viu também partir para os leões, Hugo Ribeiro, João Simões e “Kibinho”. O oposto Marco Ferreira fez as malas e partiu para Itália, para representar o Emma Villas Volley. A fechar, Valdir Reis assinou pelo recém-promovido Clube K.

Em resposta, o Espinho aproveitou alguns dos seus jogadores mais jovens e foi à busca de alguns reforços. Claro destaque para o regresso do internacional português Roberto Reis. Depois de uma passagem de seis anos pelo Benfica, o jogador regressa ao clube que representou entre 2005 e 2010. Um sentimento de amor/ódio reina entre os adeptos, mas certamente tenderá a esvanecer com o tempo e à medida que o atleta de 37 anos mostrar toda a sua qualidade.

O Sporting de Espinho celebra a sua 5ª Supertaça Fonte: SC Espinho
O Sporting de Espinho celebra a sua 5ª Supertaça
Fonte: SC Espinho

Um Espinho renovado que procurava entrar na temporada 2017/18 a todo o gás. E assim o fez. Frente-a-frente com os “tigres” estava o SL Benfica, o campeão nacional em título. Um duelo complicado para os jogadores espinhenses, que ainda não acertaram químicas e jogo de equipa. O encontro começou mal para os vareiros que viram os “encarnados” vencer o primeiro set por 19-25. O SC Espinho não se deixou ficar e conseguiu mesmo a reviravolta. Venceram o segundo set por 25-22 e o terceiro por 25-23. Os “tigres” já farejavam a vitória, mas num quarto set de loucos, o Benfica levou a melhor, vencendo por 29-31. Com a partida empatada, no decisivo quinto set estava muito em cima da mesa. Foi aí que a “raça vareira” entrou e se ouviu o rugido do tigre. No tira-teimas, o Espinho fechou a partida vencendo por um parcial de 15-11.

Após um prolongado jejum, o Espinho conquista a sua quinta Supertaça, igualando o palmarés do Castelo da Maia. Um início de época perfeito que poderá pôr em questão o recente domínio das “águias”. Poderemos ver o Espinho de volta aos grandes palcos do voleibol nacional e europeu? Só o tempo dirá. Mas se tudo depender dos fervorosos adeptos desta cidade plantada à beira-mar, pode-se bem dizer que sim.

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: SC Espinho