A equipa de voleibol masculino do SL Benfica sagrou-se bicampeã nacional nesta temporada de 2020/2021 e, sendo a modalidade melhor gerida dos encarnados, já começou a preparar a próxima época, tendo já várias mexidas anunciadas, para além do facto de já terem anunciado a participação na Champions na próxima época.

Nos últimos anos, uma das questões que os benfiquistas que acompanham a modalidade mais têm colocado é quando é que a equipa ia ser renovada, visto que o plantel era maioritariamente constituído por jogadores com mais de 35 anos. No entanto, apesar da idade avançada, estes continuavam a estar entre os melhores a nível nacional nas respetivas posições.

O voleibol é um dos desportos coletivos onde há uma maior longevidade, visto que se trata de uma modalidade que não envolve confronto físico. Para além disso, é um desporto onde a criação de dinâmicas e rotinas é um fator fundamental para definir o sucesso de uma equipa, o que significa que uma súbita revolução no plantel iria quebrar fortemente essas dinâmicas.

Agindo de forma atempada e assertiva, o voleibol do SL Benfica tem conseguido fazer uma renovação gradual do plantel, segurando ao máximo a estrutura-base da equipa. E nesse sentido, creio que as mexidas já anunciadas no plantel foram muito bem feitas.

Anúncio Publicitário

Na posição de distribuidor, a saída de Nuno Pinheiro foi a primeira a ser anunciada. O jogador de 36 anos fez carreira ao mais alto nível em países como a Itália, Bélgica e França. No entanto, nunca teve a influência que se esperava na Luz, muito por “culpa” de se cruzar com um Tiago Violas no auge da sua carreira.

Tiago Violas esteve em bom plano ao serviço do SL Benfica
Tiago Violas esteve em bom plano ao serviço do SL Benfica
Fonte: Carlos Silva/ Bola na Rede

Para o seu lugar seria contratado Bernardo Westermann ao Uberlândia, um distribuidor brasileiro de 23 anos, internacional sub-21 pela Canarinha. Será claramente uma aposta para a rotação da equipa, podendo mostrar mais capacidades no serviço e no bloco, aspetos onde Tiago Violas não é tão forte.

Na posição de zona 4 seria anunciada a saída de Afonso Guerreiro. O internacional português nunca passou do estatuto de jogador de rotação nas águias e será substituído pelo brasileiro Paolo Natan. Este ponta de 23 anos chega da equipa francesa do Tours, tendo já competido na Champions. Dos reforços anunciados, é, a meu entender, aquele que aparenta ter maior margem de progressão.

Na posição de central, o jovem Miguel Sonfrónio foi emprestado ao Leixões, de modo a evoluir como jogador e ganhar experiência na Primeira Divisão. Para o seu lugar veio o também brasileiro Lucas França. Trata-se de um regresso a Portugal, visto que este central de 24 anos e 2,09m de altura representou o Castelo da Maia em 18/19, tendo também já trabalhado com Marcel Matz no Volei Canoas.

Théo Lopes está de saída do SL Benfica
Théo Lopes está de saída do SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Na posição de oposto, a saída de Théo Lopes acaba por ser a que terá mais peso na equipa. Apesar de ter realizado uma época irregular, o internacional brasileiro foi decisivo na conquista dos últimos dois campeonatos, sendo daqueles jogadores que se galvanizava nos grandes jogos.

Para o seu lugar seria contratado o internacional finlandês Aaro Nikula. Vindo do VaLePa Sastamala, este oposto de 22 anos sobressai pela sua altura (2,12m), sendo que também já competiu na Champions.

Portanto, sem perder as pedras basilares da equipa, o voleibol do SL Benfica contratou quatro jogadores entre os 22-24 anos, de modo a começar a preparar a sucessão de alguns dos jogadores de idade mais avançada. Com estas mexidas, a espinha dorsal da equipa não será muito afetada e os encarnados têm tudo para partir como favorito para a nova época.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome