Anterior1 de 11Próximo

A camisola número 10. Uma camisola com uma mística e uma história particulares. A camisola do maestro da equipa, a camisola do mágico, a camisola dos craques, a camisola das lendas. Muitas foram os ícones da história do futebol que vestiram a camisola 10. De Pelé a Maradona, de Zidane a Messi. Parafraseando António Simões, sem o 10 este jogo não tem piada nenhuma, sem o 10 não existe futebol.

O SL Benfica não passou ao lado da história do 10, tendo visto grandes jogadores envergarem o manto sagrado com o número mítico nas costas. Decidi, então, fazer o melhor esforço possível para elaborar um top dos melhores jogadores que usaram a camisola 10 ao longo da história do Benfica.

Admito, desde já, que foi extremamente difícil, dada a qualidade e o caráter mítico de muitos destes jogadores. Haverá atletas que cuja posição neste top gerará sempre controvérsia, mas isto é um excelente indicativo dos nomes que estão à nossa frente.

Nota: Os números das camisolas só se tornaram fixos, em Portugal, a partir de 1995. Todos os jogadores anteriores a esta data jogaram e notabilizaram-se com diferentes números. O critério de elegibilidade para este top foi ter usado a camisola 10 durante um período considerável e não ser incrivelmente conhecido por ter usado outro número (CR7, por exemplo).

Anterior1 de 11Próximo

Comentários

Artigo anteriorIAAF muda de nome mas mantém-se sem rumo
Próximo artigoA nova Espanha para o Euro 2020
O Gonçalo é atualmente aluno da Escola Superior de Comunicação Social, onde persegue o seu sonho de ser jornalista. Descobriu a emoção do desporto quando assistiu, juntamente com o seu pai, ao clássico entre o Glasgow Rangers e o Celtic. A partir desse momento o desporto tornou-se uma parte fundamental da sua vida. Apaixonado pela prática desportiva, segue o futebol em geral e a NBA religiosamente. Tem dois clubes de coração o Benfica, e o Clube Atlético de Queluz clube da terra, no qual é atleta desde os 6 anos.                                                                                                                                                 O Gonçalo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.