Com a saída de Hélder Cristóvão do comando da Equipa B e a entrada em competição da Equipa Sub-23, assistimos esta temporada a uma reformulação da estrutura da Formação do Sport Lisboa e Benfica. Para o comando dos Sub-23 foi João Tralhão, deixando o lugar de treinador dos Juniores vago para a “subida” de Renato Paiva, tendo depois Luís Nascimento assumido o cargo de treinador dos Juvenis. Relativamente à Equipa B, o SL Benfica contratou Bruno Lage, ex-adjunto de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday Football Club e no Swansea City Association Football Club.

Se para muitos esta escolha seria surpreendente, para outros nem tanto. Bruno Lage já havia feito parte da Formação do SL Benfica entre 2004 e 2012, tendo assumido diferentes escalões ao longo deste espaço temporal, como os Iniciados, Juvenis e Juniores, e mostrado sempre excelente resultados e métodos de trabalho de qualidade. O seu potencial não passou despercebido, tendo estado duas temporadas nos Emirados Árabes Unidos antes de integrar as equipas técnicas de Carlos Carvalhal na sua aventura por Inglaterra.

O que é facto, é que Bruno Lage tem vindo a subir degraus importantes na sua carreira, muito por força da competência que vem mostrando em cada função que ocupa. Chegado ao SL Benfica, transformou por completo o futebol apresentado pela equipa secundária dos “encarnados” e os resultados até agora têm sido por demais evidentes: cinco jogos disputados na II Liga, quatro vitórias, um empate (concedido nos descontos), sete golos marcados e três sofridos, que se traduzem num primeiro lugar da classificação. No entanto, estes resultados não são obra do acaso. E é precisamente aqui que está a grande diferença para as temporadas transactas: existe um modelo de jogo sustentado e de qualidade, com primazia pela posse de bola, num acreditar que será com a bola nos pés que o jogador poderá aprimorar as suas qualidades e evoluir. Paralelamente, tendo a equipa a bola em sua posse, poderá gerir o jogo mais facilmente e estar sempre mais perto de marcar do que sofrer. É o chamado “formar a ganhar”, lema que a Comunicação do SL Benfica tanto faz questão de passar – e bem, diga-se!

A vertente do treino é o catalisador para o excelente futebol apresentado pela Equipa B do SL Benfica
Fonte: SL Benfica

Logicamente que o que entendemos por “jogar bonito” não significa que se vencerá mais facilmente um jogo, mas que aumenta em larga escala as probabilidade de isso acontecer, certamente que sim. E, tal como disse, ajudará no crescimento do jogador, uma vez que quando uma equipa tem bola os seus jogadores poderão trabalhar novos conceitos, como a ocupação dos espaços, o melhoramento da sua capacidade de decisão, a atracção do adversário para uma determinada zona do terreno de forma a soltar os seus companheiros de equipa no lado oposto ou mesmo as próprias movimentações (com e sem bola, em momento de organização ofensiva). Resumindo, trabalharão aspectos que os transformarão em jogadores mais completos.

Anúncio Publicitário

Mas será este modelo de jogo somente um resultado da qualidade individual dos jogadores que compõem o plantel secundário do SL Benfica? A resposta é óbvia – não. Por muito bons que os jogadores sejam, por muita qualidade e potencial que eles tenham, existem dinâmicas que simplesmente não partem da sua inspiração individual. Tem de haver treino. E este é um ponto muito forte de Bruno Lage, que se reflecte no excelente futebol apresentado pela sua equipa. Vemos alguns aspectos em determinados momentos do jogo em que se percebe nitidamente que existe ali trabalho e conhecimento.

Para além do registo maioritariamente vitorioso e da prática de um futebol de qualidade, o bom momento da Equipa B tem feito com que alguns jogadores comecem já a sobressair e a pedir uma oportunidade a Rui Vitória. Desse lote, destaco três nomes: o defesa-central Francisco Ferreira (“Ferro”), o médio-defensivo Florentino Luís e o médio-ala João Filipe (“Jota”). O salto qualitativo que deram de uma temporada para a outra deve-se ao excelente trabalho de Bruno Lage. E muitos outros talentos estão já em fila de espera, numa temporada que promete bastante ao nível da Formação.

Foto de Capa: SL Benfica