Anterior1 de 2Próximo

sl benfica cabeçalho 1O sistema táctico do Benfica tem sido uma das questões mais discutidas pelos adeptos nesta temporada. De forma mais precisa, esta discussão começou aquando de uma entrevista de Rui Vitória na BTV no final da época passada, na qual ele admitiu existir a possibilidade de vir a alterar o sistema táctico.

É sabido que o 4-4-2 nunca foi o esquema táctico predilecto de Rui Vitória. Assim que chegou ao Benfica, este tentou implementar sem sucesso o 4-3-3 que trouxe do Vitória SC. E consequentemente, os maus resultados iniciais fizeram com que Rui Vitória tivesse de ceder aos processos aos quais a sua equipa estava mais habituada.

Mas o facto é que os modelos que o levaram a conquistar dois campeonatos no Benfica, são na verdade, variações de um 4-4-2 que deixam a equipa mais próxima de um sistema com 3 homens no miolo: em 2015/2016, com Pizzi a interior direito a dar apoio ao miolo e com Jonas a descair para a ala direita; em 2016/2017, com Fejsa e Pizzi a formarem dupla no miolo e com Jonas ou Gonçalo Guedes a recuarem para procurar jogo no centro do terreno.

No entanto, desde há algum tempo para cá que, perante a significativa evolução táctica que o futebol tem tomado, tem vindo a vigorar uma concepção de que o 4-4-2 é uma táctica que está ultrapassada e que pode ser facilmente anulada por uma equipa agressiva e pressionante que atue com mais homens no meio-campo.

Krovinovic terá um papel preponderante no 4-3-3 Fonte: SL Benfica
Krovinovic terá um papel preponderante no 4-3-3
Fonte: SL Benfica

Por aquilo que eu aprendi a ver futebol, acredito que nos dias de hoje, o sistema de 4-4-2 que seja mais capaz de vingar seja um modelo à imagem daquele com que o Mónaco foi campeão francês e chegou às meias-finais da Champions na época passada: um 4-4-2 com dois médios de grande capacidade física e que cobram grande parte do terreno de jogo, dois laterais que perfaçam todo o corredor, e dois extremos/interiores que actuem mais como criativos e pensadores de jogo do que como alas puros.

No entanto, o plantel do Benfica possui jogadores com outras características. E as saídas que não foram devidamente compensadas no mercado, e as exibições aquém das exigências, espelharam a necessidades no modelo de jogo e na forma de jogar com a equipa. E a vitória em Guimarães mostrou que o 4-3-3 é a melhor táctica para esta equipa e algumas coisas que esta pode trazer.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários