Maio de 2019 – O Sport Lisboa e Benfica já sente o sabor do título, o entusiasmo da Reconquista a euforia da remontada concretizada na Liga.

Janeiro de 2019 – O Futebol Clube do Porto arranca o ano a liderar o campeonato com mais sete pontos que os encarnados e ainda com o conforto de saber que iria ter o Clássico no Dragão.

Uma época perdida torna-se uma época quase ganha. Uma época de conquista torna-se uma época quase desperdiçada. Quase.

As remontadas podem acontecer em qualquer momento. Em qualquer competição. Em jogos ou em tabelas classificativas. O FC Porto desacelerou quando se julgou em posição confortável. O FC Barcelona desacelerou no conforto de um 3-0 caseiro. O AFC Ajax desacelerou no sossego de um 3-0 a 45 minutos do sonho de uma final europeia.

E também o Sport Lisboa e Benfica já por vezes se esqueceu de acelerar no vislumbre da meta.

Meados de Fevereiro de 2012 – O SL Benfica lidera o campeonato à 18.ª jornada. Cinco pontos de avanço sobre o FC Porto e ainda a vantagem de um Clássico caseiro. Em três jornadas tudo mudou. Uma derrota em Guimarães seguida de um empate em Coimbra anulou a vantagem pontual e fez do clássico um duelo de líderes. Aos 87 minutos o Porto roubou definitivamente a liderança do campeonato e por lá se manteve até ao seu término.

Finais de Abril de 2013 – O Sport Lisboa e Benfica lidera o campeonato com quatro pontos de vantagem e a cinco jornadas do fim do campeonato. São 15 pontos a disputar e a necessidade de fazer 12 pontos para garantir o título. Abril fecha com a recepção ao Sporting CP e a viagem ao Estádio dos Barreiros. São seis pontos garantidos em dois jogos decisivos. A vista do título está à distância de duas vitórias caseiras com o GD Estoril Praia e Moreirense FC. E perante essa paisagem os jogadores fazem a festa na Madeira. A meta foi cruzada antes de ser alcançada. A corrida terminou antes de estar concluída. E o Sport Lisboa e Benfica assim desacelerou. Depois do sprint veio a festa na Madeira e o relaxamento pós-euforia. Um empate na Luz com o GD Estoril Praia reacendeu a necessidade de aceleração com o Dragão à espera. Aí um Kelvin aos 92 minutos fez do sonho pesadelo. E foi de joelhos que o Sport Lisboa e Benfica viu o já festejado título entregue ao rival do norte.

E perante essa paisagem os jogadores fazem a festa na Madeira
Fonte: Sapo.pt

Março de 2018 – O Futebol Clube do Porto recebe o Sporting CP com dez jornadas por disputar e consolida a sua liderança com cinco pontos de vantagem sobre o Sport Lisboa e Benfica. Com duas deslocações nas três jornadas seguinte o FC Porto cede duas derrotas e vê o SL Benfica assumir a liderança do campeonato em vésperas de jogo na Luz. Quando tudo apontava para a consolidação de uma liderança de quatro pontos com quatro jogos por se disputar, o SL Benfica recebeu o FC Porto no conforto de saber que o empate o mantinha na frente do campeonato. A equipa desacelerou e o Herrera sentenciou o campeonato. Sentença que o CD Tondela se limitou a adornar com uma remontada em pleno Estádio da Luz.

Estes são exemplos de uma história recente que se perdem na enormidade do oceano de episódios que enriquecem a História do Futebol.

O presente campeonato já esteve perdido pelo SL Benfica e ganho pelo FC Porto. O presente campeonato já esteve tremido para os encarnados perante a dureza momentânea do calendário. A fechar o passado mês, com quatro jogos por disputar e em igualdade pontual, o FC Porto foi a Vila do Conde colocar-se numa posição confortável com dois golos de vantagem com dez minutos para terminar o jogo, e o SL Benfica foi a Braga onde se colocou em perigo com a desvantagem no marcador ao intervalo e uns primeiros 45 minutos demasiado pálidos. Um contexto onde uma possível vantagem pontual azul e branca de três pontos a três jornadas do fim, se transforma numa vantagem pontual vermelhor e branca de dois. O FC Porto pelo conforto do resultado recuou e sofreu um pesado empate e os encarnados espicaçados pelo perigo imininete aceleraram para um goleada de 45 minutos.

Pode ser cliché mas no Futebol, tal como na vida, tudo pode mudar num minuto, num segundo. Um tropeção do defesa, a bola na barra, o árbitro de tendências estranhas, os ressaltos da bola e os desvios para golo de desesperados remates. É perigoso quando uma equipa mais que favorita permite que a sorte e o azar tenham uma palavra a dizer no desfecho de um jogo e de um campeonato.

O Sport Lisboa e Benfica vai amanhã a Vila do Conde e fecha o campeonato na Luz no próximo fim de semana com o CD Santa Clara. Sabe só precisar de quatro pontos para ser campeão mas tem de saber que precisa de lutar por seis pontos com duas vitórias contundentes. Tem de acelerar nesta recta final sem permitir qualquer relaxamento ou conforto pela vantagem já conquistada. Tem de ir já amanhã a Vila do Conde impôr o seu futebol, sem passividade e sem confortos. Sem permitir o seu adversário e o seu rival sequer acreditarem.

E em Vila do Conde o Sport Lisboa e Benfica terá de jogar pelo sonho de seis milhões que anseiam pela Reconquista
Fonte: SL Benfica

Este campeonato não pode nunca ser entregue pela bola ao poste aos 90 minutos, pelo penalty mal assinalado pelo juíz de preto ou pelo azar de um auto-golo ao cair do pano.
O campeão nacional terá de terminar o campeonato com dois grandes jogos, com duas vitórias sem contestação. Sem ressacas dos festejos de Braga nem dos festejos caseiros frente ao Portimonense SC. A equipa já tremeu e teve de acelerar para não vacilar. A equipa já festejou. Falta ser campeã. E em Vila do Conde o Sport Lisboa e Benfica terá de jogar pelo sonho de 6 milhões que anseiam pela Reconquista.

Entrar nos relvados, ter a iniciativa do jogo, manter a bola no pé e atacar a vitória. Sem espinhas.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários