A última jornada provou ser modestamente vantajosa ao Sport Lisboa e Benfica. O triunfo sobre o Clube Desportivo Santa Clara somou três pontos ao SL Benfica, e o empate entre o Sporting Clube de Portugal e o Futebol Clube do Porto resultou numa aproximação das “Águias” ao primeiro lugar ocupado pelos “Dragões”. Estamos a apenas cinco pontos do topo da tabela classificativa, e já há adeptos que deitam a toalha ao chão, argumentando que só num grande azar do FC Porto é que somos campeões. Por outro lado, também há adeptos que ainda acreditam, e com razão, numa reconquista do campeonato.

Se formos analisar as nossas chances, observamos que ainda são altas, e não há grande razão para estarmos cabisbaixos e perdermos a esperança. São apenas cinco pontos, é uma derrota e dois empates, ou duas derrotas, algo que pode acontecer em qualquer das restantes 17 jornadas. Repare-se bem, são 17 jornadas que ainda faltam. Esta atitude negativa que se tem notado por parte de alguns adeptos não é uma atitude “à Benfica”. É preciso saber acreditar, saber que apesar de a probabilidade ser baixa, ela existe, e no futebol as coisas mudam e dão mil e uma voltas muito facilmente.

Na temporada 2015/2016, na conquista do tricampeonato, e primeiro ano ao comando de Rui Vitória, o SL Benfica estava a sete pontos do primeiro lugar na oitava jornada do campeonato. Como seria normal num dos “três grandes” de Portugal, os adeptos entraram em parafuso a ver que tudo se estava a desmoronar e ainda nem tinha começado praticamente. O SL Benfica já tinha perdido com o Sporting CP (por três a zero na Luz), com o FC Arouca, e com o FC Porto, e empatado com o CF União da Madeira, e ainda só íamos na oitava jornada. No fim fomos campeões, se calhar com alguma sorte, mas sobretudo graças à vontade de fazer mais e melhor.

Bruno Lage assumiu o cargo de treinador a título definitivo
Fonte: SL Benfica

Depois da derrota com o Portimonense SC este ano, o SL Benfica ficou com uma desvantagem tão grande e tão perto do fim, que só com uma recuperação de pontos histórica é que será campeão. Ou seja, nunca antes um clube tinha sido campeão com sete pontos de atraso a 19 jornadas do fim. As estatísticas até indicam uma ode um pouco a favor do falhanço da reconquista, mas recuperar cinco pontos a 17 jornadas do fim não é impossível de todo.

Anúncio Publicitário

Um dos “obstáculos” à esperada reconquista era o treinador, e esse já foi superado. Com o assumir de comando de Bruno Lage já se notam as diferenças, não só em termos futebolísticos e táticos, mas também a nível de vontade dos jogadores. Foi quase como uma injeção de adrenalina, e era mesmo isso que o SL Benfica estava a precisar.

Como adepto só me resta apelar a todos aquilo que só facilitava o trabalho de todos os envolvidos na equipa sénior do Sport Lisboa e Benfica: vamos acreditar até ao fim. Não vale a pena pensar que está tudo perdido quando não está. Ainda falta muito jogo, muitos golos marcados e sofridos, e como sabemos, uma conquista do campeonato para o SL Benfica, pelo menos nos últimos anos, é sempre a sofrer até ao final. Até porque qual seria a piada de vencer um campeonato sem pelo menos tremer um bocadinho?

Foto de Capa: SL Benfica