Tudo indica que Ljubomir Fejsa estará apto a alinhar no clássico de importância máxima que se avizinha. Num jogo desta natureza, que pode provocar uma reviravolta no campeonato, exigem-se os melhores e o Benfica, na minha opinião, precisa daquele que é um dos mais eficazes médios defensivos da atualidade para a receção ao FC Porto.

O sérvio não tem estado no seu melhor devido a uma lesão, que o obrigou a uma longa paragem e que não permitiu que jogasse pela sua seleção. No entanto, esse facto, a par do interregno na Liga, acabaram por ajudar à sua recuperação e beneficiar o Benfica que, ao que tudo indica, o levará a jogo.

Acredito que o farol do Benfica será decisivo nesta partida pela simplicidade e eficiência que o caracterizam em campo. Conhece os espaços, movimenta-se muito bem e faz uma leitura de jogo só ao alcance de alguns. Desde os roubos de bola ao adversário sem este dar conta, ao equilíbrio que dá ao coletivo como médio defensivo, e muitas vezes como terceiro central, fazem dele um jogador especial e um pilar do esquema defensivo encarnado.

Uma peça fundamental para o Clássico Fonte: SL Benfica
Uma peça fundamental para o Clássico
Fonte: SL Benfica

Falar de Fejsa é como falar da importância que tem um Sergio Busquets, no Barcelona, ou de um Tiémoué Bakayoko, na equipa sensação do Mónaco, isto porque não são deslumbrantes com a bola mas dão equilíbrios defensivos fundamentais e que valem, muitas vezes, pontos. São os denominados “heróis silenciosos”, que cumprem o seu papel de forma impecável e aos quais, em alguns casos, só se dá o devido valor quando não estão lá. Que o digam os benfiquistas que não vêem Fejsa em campo há quase um mês e meio.

Apesar de Rui Vitória fazer, de facto, um trabalho impressionante para encontrar todas as soluções possíveis, o Benfica não tem um substituto à altura neste momento, o que o coloca na situação de imprescindível no plantel, quando se trata de jogos deste nível.

Anúncio Publicitário

O número cinco, no seu histórico no clube, tem a particularidade de ter sido sempre campeão. Dos 19 jogos em que esteve presente esta época, soma 16 vitórias e conta apenas com um empate e duas derrotas, números inequívocos quanto à consistência que dá à equipa. No sábado, creio que não será exceção.

Esperemos que o sérvio mantenha a senda vitoriosa e que, no que resta desta época, ajude uma vez mais o seu clube a chegar à conquista de mais um campeonato. Por agora, é obrigatório ganhar ao Porto para o Benfica aumentar a distância do seu adversário direto e ficar numa posição mais confortável.

Contudo, no próximo dia um de Abril, independentemente do onze que entrar em campo, toda a equipa e os seus adeptos darão o tudo por tudo na sua catedral para manter a liderança do campeonato, porque juntos somos mais fortes!

Artigo revisto por: Francisca Carvalho