Faz hoje dez dias que André Ventura conseguiu que o seu partido chegasse ao parlamento português. Este é um assunto político, um assunto envolto em polémicas políticas e este texto nada terá a ver com política. Pelo menos não com esta politica de esquerda, centro, direita, de governo e de oposição.

A polémica que me trouxe aqui é a que estalou no seio da família benfiquista.
A discussão base é: deve ou não o Sport Lisboa e Benfica tomar alguma posição relativamente a André Ventura neste seu novo contexto ideológico e político?

Muito se tem comentado, mas de todas as vozes públicas, raras são aquelas que realmente abordam a realidade contextual da ligação de André Ventura ao Sport Lisboa e Benfica.

Qual a minha opinião sobre o assunto em questão? Concordo com a carta aberta destinada à direção do Sport Lisboa e Benfica e assinada por Ricardo Araújo Pereira, Henrique Raposo, Pedro Norton, José Eduardo Martins e Lucas Pires? Apesar de a perceber, acho-a mal fundamentada e carece de um esclarecimento à imagem daquele que Ricardo Araújo Pereira posteriormente fez. Antes de se poder concretizar alguma posição sobre este assunto é crucial conhecer as figuras e políticas envolvidas.

Quem é André Ventura? Até há poucos meses, André Ventura era para a sociedade portuguesa um comentador do SL Benfica. Não que ele não fosse mais que isso, mas era esse papel que lhe dava notoriedade e reconhecimento público. Contudo, André Ventura era mais que um comentador: André Ventura era, e é, um dos peões da comunicação do clube.

E é aqui aqui que está o cerne de toda esta questão. André Ventura não é um mero adepto benfiquista que tem o privilégio de comentar semanalmente tudo o que envolve o futebol nacional em canais televisivos. André Ventura é um parceiro da direção do Sport Lisboa e Benfica. A comunicação do clube é oficialmente liderada por Luís Bernardo, mas oficiosamente tem como figuras principais o Carlos Janela, o Pedro Guerra, o André Ventura e mais recentemente o José Marinho. Não há qualquer dúvida de que à medida que Pedro Guerra foi levando os seus comentários a maiores audiências, André Ventura foi quem ficou responsável de ir cobrindo os espaços mediáticos por este abandonados. André Ventura é um peão da comunicação do Sport Lisboa e Benfica. André Ventura é comentador CMTV com uma estratégia delineada pela comunicação do clube e por opção da direção do clube.

A direção do Sport Lisboa e Benfica, confrontada com a tal carta de alguns “notáveis”, fez muito bem em remeter aos estatutos do clube.

“3. Ao SPORT LISBOA E BENFICA são interditas actividades de carácter político-partidário e de proselitismo religioso.”

E é em conformidade com o ponto 3 do Artigo 3ª que na minha opinião o Sport Lisboa e Benfica deveria acabar com a sua parceria com o agora líder de um partido com assento parlamentar. Não faz sentido que André Ventura continue a ser um dos (principais) peões da estratégia comunicacional da direção de Luís Filipe Vieira. A manutenção desta parceria, que implica a opção do Benfica em impôr um lugar de destaque televisivo a André Ventura, irá no mínimo contra o espírito dos estatutos do clube.

“…certamente colheu frutos da visibilidade que este lhe deu, e principalmente da visibilidade e afectos que a sua proximidade à direcção do clube lhe conferiram”
Fonte: CHEGA

Ao Sport Lisboa e Benfica não cabe pronunciar-se sobre as políticas do Chega e do seu líder. Ao Sport Lisboa e Benfica não cabe aproximar-se ou afastar-se de André Ventura. Ao Sport Lisboa e Benfica impõe-se uma posição neutra e desinteressada, não discriminando André Ventura, mas também não lhe dando maior palco do que aquele que dá a todos os seus associados.

André Ventura é um político. É político enquanto líder do Chega. É político enquanto comentador com as cores do SL Benfica. Não posso dizer que instrumentalizou o clube, mas certamente colheu frutos da visibilidade que este lhe deu, e principalmente da visibilidade e afetos que a sua proximidade à direção do clube lhe conferiram. Até pode não ter ido ao Estádio da Luz durante a campanha eleitoral, mas também ter-se-á ausentado totalmente da sua cadeira de comentador vermelho e branco?

O agora deputado André Ventura está a trilhar o seu caminho. Cabe ao Sport Lisboa e Benfica assumir que já Chega e colocar um Basta nesta parceria.

Foto de capa: CHEGA

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários