coraçãoencarnado

Aqui vai o primeiro “Coração Encarnado” deste ano de 2015. O ano da magia e títulos já ficou para trás, mas novos sentimentos virão. Não me vou alongar muito em relação ao ano de 2014, até porque falar da perfeição não é fácil. Foi o ano. Aquele ano de que me vou lembrar para sempre. Não só porque vi ao vivo a minha segunda final europeia, ou porque ganhámos tudo o que havia a ganhar a nível nacional, mas por tudo o resto.

A verdade é que 2014 levou-nos a memória, as lágrimas, os risos, o choro, o erguer do amor, o Markovic, o Enzo, o Garay e tantos outros. “O que lá vai lá vai…” Não é isso que eles dizem?! Pois que seja. Mas 2015 começa com o mesmo espírito e o mesmo sorriso: o da liderança. E é assim que eu espero que todos os benfiquistas olhem para 2015, recordando o que de bom 2014 deu e esquecendo o que de mau nos trouxe. Nem tudo foi um paraíso, meus caros corações encarnados. Como se devem lembrar, a parte final de 2014 também trouxe a eliminação da Liga dos Campeões, a saída da Taça de Portugal e tantos outros dissabores. Mensagem a reter: recordar os grandes momentos que o nosso clube nos deu no ano passado e apagar os outros.

Anúncio Publicitário

Agora que os dois parágrafos vos prenderam ao texto (espero eu), eis que eu digo o que realmente quero para o ano que aí vem, sem meias palavras: BI. Não, não tem a ver com o meu bilhete de identidade. Um campeonato mais outro campeonato, em dois anos consecutivos, dá resultado a uma nova palavra que por sinal rima com Benfica (pelo menos no coração rima): bi-campeonato. Não há desculpas. Não há mesmo. Querido mister, peço todos os dias que aprendas com os erros que cometeste. Acredito que o nosso caminho está traçado de mão dada com o título.

Aquela vitória no Dragão não me sai do corpo, foram muito mais que três pontos! Foi a confirmação de que a nossa crença é justificada pela realidade. Foi a certeza de que a razão se sobrepõe ao resto que por aí anda. Foi aquele momento que só os estúpidos tentam descrever, concluindo que não o vou tentar fazer, não dando assim azo a qualquer tentativa da vossa parte de me rotularem (façam-no antes pelos estúpidos pensamentos ou estúpido amor à instituição sobre a qual escrevo). Pois é: não vai dar para falhar, Jesus. A tua margem de manobra é inexistente, e espero mesmo que não só percebas isso como o digas publicamente. Nem tudo gira à tua volta. Se te adoro? Sim. Se o Sport Lisboa e Benfica vai continuar depois de te ires? Sim mil vezes. Onde é que eu quero chegar, perguntas tu. A nenhum lugar em especial, apenas referir que por vezes fico com a ideia de que te esqueces daquilo que levas ao peito, e mais importante que isso – do lugar onde estavas antes de colocares esse emblema perto da pele. Bem sei que foram poucas as vezes em que te desviaste do caminho, mas por isso é que eu te aviso agora.

Que 2015 nos traga mais abraços destes Fonte: Facebook Oficial do Sport Lisboa e Benfica
Que 2015 nos traga mais abraços destes
Fonte: Facebook Oficial do Sport Lisboa e Benfica

Esquecendo as reflexões que andei a fazer, o jogo de hoje traz-nos uma deslocação difícil a Penafiel. E é aí que me quero focar agora. Acredito que a saída de Enzo possa trazer instabilidade ao plantel e aos adeptos, mas por favor: nós, apoiantes do Sport Lisboa e Benfica, estamos cá até sempre (e não até morrer). Sabem o que isso quer dizer? Que quando Enzo sai do Benfica, ele automaticamente deixa de ser dos “nossos”. Discordem, gritem ou concordem, isto é o que penso. São poucos os que ficam connosco depois de saírem (agora de repente só me lembro do David Luiz).

Parem de falar de Enzo, percam antes tempo a falar dos “nossos” e, por favor, não criem instabilidade. Caríssimos, depois de Enzo hão-de vir centenas de milhares de médios com a mesma ou mais intensidade, com a mesma ou melhor capacidade técnica e, garantidamente, aparecerão muitos mais com a vontade de não passar apenas duas épocas e meia com o manto sagrado vestido. Portanto, amanhã teremos um novo número oito (digo novo porque é um novo ano e um novo ciclo), mas os rostos na bancada (e não só!) serão os mesmos. Nós, quem realmente mexe com isto, cá estaremos para agradecer a Enzo tudo o que por nós correu, esquecendo-o depressa para abraçar Pizzi, Cristante, Samaris ou quem vocês preferirem.

Em tom de conclusão, apenas referir que hoje quero os três pontos no Norte (isso soa-me a algo familiar…). Para este primeiro Domingo de 2015, não peço muito mais que isso, apenas três pontos. Isso vai manter a sorridente vantagem para o Porto e, muito mais importante que isso, a primeira vitória deste novo ano, que seguramente me encherá de bis, sorrisos e vitórias. Um forte abraço a todos, aproveitando para vos desejar um bom ano, carregado de satisfações benfiquistas.

Fotografia de Capa: Facebook Oficial do Sport Lisboa e Benfica