Com o início dos campeonatos nacionais, os clubes começam uma longa jornada até ao mês de maio do próximo ano. Tudo aquilo que assimilaram durante a pré-época, tem de se transformar em resultados dentro de campo. Agora que os jogos contam realmente, os níveis de intensidade e responsabilidade elevam-se a outros patamares que levam, os atletas e técnicos sentirem a alta pressão diária, novamente.

Grande parte dos clubes só agora está a enraizar de novo esta ideia sobre o resultado, mas para o Benfica, que, já começou à algumas semanas atrás a disputar eliminatórias competitivas, tudo é bem diferente. O tempo que teve para assimilar e dedicar sobre aspetos técnico/ou táticos, foi muito pouco.

Acerca de um mês atrás tínhamos referido que o clube encarnado iria ter um calendário bastante complicado neste mês de agosto, com um nível de densidade de jogos elevado. Num espaço de trinta dias, eram oito os encontros que tinha de realizar. Que para além do grande número de jogos, a dificuldade também não iria ser nada fácil.

Até agora com cinco dos jogos já realizados, as contas que se fazem são bastante positivas. Entre o mais importante, a passagem ao playoff de acesso à liga milionário, afastando os turcos do Fenerbahçe e as duas vitorias nas primeiras jornadas da liga NOS, frente ao Vitória de Guimarães em casa, e agora neste passado sábado, frente ao Boavista no estádio do Bessa.

Mais que as exibições, foram os importantes resultados alcançados. A iniciar a quarta época no clube da luz, depois de ter perdido a chance de conquistar o tão desejado pentacampeonato, Rui Vitoria, não terá mais oportunidades para mostrar as suas capacidades de guiar os jogadores à gloria.

Isto deve-se ao facto de nestes quase quatro anos em que está no clube, a equipa ainda não ter apresentado uma proposta de futebol de qualidade.

O forte apoio dos adeptos tem sido fundamental
Fonte: SL Benfica

Mas voltando ao assunto sobre o calendário encarnado, o Benfica está agora numa fase “terminal”, depois de uma longa e sucessiva fase de jogos. Mas esta fase que se aproxima, será a mais complicada e complexa. Depois do jogo de ontem, o Benfica prepara já o próximo encontro, frente aos gregos do PAOK. Jogo que se realiza já nesta terça-feira, dia 21.

A jogar no Estádio da Luz, o Benfica tem de superiorizar-se e conseguir levar um bom resultado para o encontro do dia 29 na Grécia. Não será nada fácil, vistos que os gregos conseguiram eliminar equipas difíceis como o Basileia e o Spartak Moscovo.

Refero, ainda que o Basileia foi o causador de um verdadeiro pesadelo para a equipa encarnada, no jogo do ano passado na Suíça, em que o Benfica perdeu por 0-5.

No meio da eliminatória frente ao PAOK, o Benfica irá receber na luz o Sporting a contar para terceira jornada do campeonato português. Logo a seguir, a equipa da luz desloca-se à Grécia para a segunda mão do playoff.

Rui Vitoria terá de saber gerir o cansaço dos jogadores entre estes três jogos. O nível de intensidade em que os encontros irão disputar-se deverá exigir aos atletas um elevado nível de esforço físico.

Será sem dúvida a fase mais complicada do Benfica neste Verão. Face ao valor dos adversários e ao “preço” que se pode pagar em caso de vitoria, empate ou derrota.

É complicado definir prioridades nesta fase inicial. É importante a vitoria no campeonato frente ao Sporting, para conquistar mais três pontos e seguir invicto na liga, mas também não se pode esquecer que o forte investimento do clube neste mercado, deve-se ao fato de querer a todo o custo conseguir um lugar na fase de grupos da liga dos campeões. A enorme quantia financeira é necessária para abater o saldo negativo, por isso será de extrema importância para o Benfica, nestes dois jogos frente ao PAOK.

Resta saber se nestas duas semanas que faltam, o Benfica irá fazer um pleno em termos de sucesso. Conseguir passar o playoff e ganhar um lugar na maior prova de clubes do mundo e ainda conquistar uma categórica vitoria frente ao eterno rival de Lisboa. Tornaria este inicio de pré temporada, numa das melhores dos últimos anos, fazendo com que a moral dos jogadores, técnicos e adeptos do clube subisse, criando uma enorme confiança e expectativa para o futuro.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários

Artigo anteriorFrente a Frente: Linha defensiva 2018/19 vs 2017/18
Próximo artigoDjokovic faz história e celebra “Career Golden Masters”
Desde de 1993 que a cor que lhe corre nas veias é vermelha e branca! Quando era mais novo, chegou a jogar no clube rival de Lisboa, mas nunca escondeu que o seu grande amor era o Glorioso. Tem uma enorme admiração pelo Liverpool FC. Gostava de um dia ir a Anfield Road e cantar bem alto a canção que imortalizou os Gerry & The Pacemakers: "You'll Never Walk Alone!" A dar os primeiros passos como treinador de futebol, o seu maior sonho é treinar o clube de coração e alma, o Sport Lisboa e Benfica.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.