cabeçalho benficaMau, muito mau. Vergonhoso. Foi cair com estrondo e este é, provavelmente, o rescaldo que me custa mais escrever.

Jorge Jesus contrariou o ditado e foi feliz num local onde o foi durante seis anos. Depois de seis temporadas a virar à direita à saída do túnel do Estádio da Luz para o banco de suplentes, Jorge Jesus virava à esquerda e aparecia como visitante. Mesmo passados alguns meses ainda é estranho ver JJ noutro clube (e depois desta derrota ainda mais é).

Os sinais de que o dia ia correr mal começaram cedo. Rui Vitória voltou a apostar no mesmo 11 que jogou na Turquia. Voltou a apostar em Sílvio, que foi dos piores na quarta-feira. O português recuperou de uma lesão mas ainda não tem rotinas. E à primeira todos caem; é incompreensível como é que Rui Vitória voltou a cair no mesmo erro. Uma solução seria colocar André Almeida na direita (não sou seu fã mas apresenta melhores argumentos para a posição do que Sílvio, neste momento, e o meio-campo agradecia a sua ausência) e apostar em Fesja.

O Benfica nem começou mal. A equipa entrou pressionante mas seria apenas fogo-de-vista. A defesa estava em “dia não” e os erros acumularam-se. Primeiro, Gutierrez aproveitou uma perda de bola em zona proibida, depois Slimani voou mais alto que todos e, por último, Ruiz aproveitou outra perda de bola. A Luz gelava de cada vez que o Sporting marcava. De pouco vale ter bola e ter iniciativa se não se criam verdadeiras oportunidades de perigo e, pior, se a defesa compromete o jogo. É assim que se chega ao intervalo. Uma defesa completamente à toa, perdas de bola infantis e o Sporting com a vitória na mão.

A desinspiração de Gaitán contrastou com a classe patenteada por João Mário. Fonte: Facebook do Benfica
A desinspiração de Gaitán contrastou com a classe patenteada por João Mário.
Fonte: Facebook do Benfica

A segunda parte foi apenas para passar tempo. Desde cedo se percebeu que o Benfica tinha baixado os braços e que nem ao golo de honra teria direito. O Sporting geria como queria o jogo e o momento alto acaba por ser o bonito ambiente que se viveu no Estádio da Luz, com os adeptos a darem apoio à equipa. As críticas e os assobios ficam para o fim.

Anúncio Publicitário

Algumas críticas também para o árbitro, que me pareceu condicionado, depois de tudo aquilo de que se falou durante a semana. Há, pelo menos, um penalty por marcar a favor do Benfica.

Mas a arbitragem não explica o que se passou hoje. Foi mau de mais para ser verdade. Demasiados erros, demasiada passividade. Uma equipa que falhou demasiado tendo em conta que está habituada a estes jogos. Mérito para o Sporting. Foi inteligente, fechou os caminhos ao Benfica e aproveitou as ofertas dadas pelo Benfica.

A Figura:

João Mário: Bom a fazer a cobertura a Gaitan, melhor na ajuda à defesa. O jovem jogador esteve a um bom nível e o meio-campo do Sporting, cada vez mais definido, agradece.

O Fora-De-Jogo:

Rui Vitória: Mau em tudo. Na antevisão, no 11 e durante o jogo. Depois dos elogios em Madrid, hoje voltou à realidade. Os erros continuam os mesmos, a abordagem é igual. O principal culpado desta noite.