coraçãoencarnado

Treino leve antes do derby. Assim poderia ser resumida a partida de hoje do campeão nacional contra o Boavista Futebol Clube. A verdade é que este Sport Lisboa e Benfica não deu hipótese, nem por um segundo que fosse. Ainda agora o jogo acabou e já ouvi que o Benfica entrou e nervoso e tal… “Falharam muitos golos”, dizem eles. Nove pontos de avanço, digo eu. Passou mais uma semana como líder, mais uma virá.

Passados apenas cinco minutos, já Ola John aquecia a bancada do Estádio da Luz, com uma oportunidade flagrante para inaugurar o marcador. Depois disso, o tempo trouxe apenas minutos de cortesia até Maxi decidir salpicar o pé direito com pequenos grãos de magia e fez uma assistência genial para Lima, que se sentiu obrigado a seguir a linha qualitativa que Maxi tinha iniciado e concluiu com um cabeceamento genial, a passar por cima do guarda-redes axadrezado (foi bom ver-te a jogar, Mika!). O tempo manteve-se fiel ao plano para a fria tarde de hoje, ou seja limitou-se a passar sem fazer das suas. O gigante jogou como quer e sabe. Depois disso, veio o esperado: Maxi não se quis ficar pela assistência, e ao reparar que a primeira meia-hora já tinha passado, decidiu celebrar esse facto com um remate colocado (e desviado) de pé esquerdo. Um presente ao tempo, que agradeceu com o intervalo. Os quinze minutos que separam as duas partes chegaram naturalmente, com o líder da classificação a ser líder nos relvados. O guardião das redes benfiquistas mal tinha tocado na bola, as chuteiras reclamavam, tal era o frio sentido. O Boavista não tinha feito um remate à baliza durante os primeiros quarenta e cinco minutos, já o Benfica podia estar a ganhar por mais.

Após o descanso, o Sport Lisboa e Benfica decidiu continuar a ser superior. O terceiro golo apareceu de uma grande penalidade (mal assinalada), com Jonas a aumentar a vantagem. Pareceu-me que a ordem para ser o imperador brasileiro a marcar a penalidade em vez de Lima veio directamente de Jorge Jesus. O jogo ficava assim selado com carimbo de líder e campeão nacional. Já que estamos a falar de penáltis, parece-me que ficou um por assinalar para os encarnados.

Os jogadores encarnados após mais um remate em direcção à contínua liderança Fonte: Facebook do SL Benfica
Os jogadores encarnados após mais um remate em direcção à contínua liderança
Fonte: Facebook do SL Benfica

Os restantes minutos foram apenas a obrigação do tempo. Nada mais que isso. Se o tempo não mandasse, este jogo tinha acabado logo ali. Para quê correr mais?! Bem, por falar em minutos, no próximo jogo caseiro do Sport Lisboa e Benfica, os sócios dos 15 aos 25 anos poderão comprar o bilhete para a partida por apenas seis euros (equivalente aos minutos de descontos dados por Hugo Miguel, na partida de hoje – o tempo voltou a pregar das suas). A verdade é que as palavras acabam por fugir do meu computador quando quero falar deste jogo, não há muito para dizer a não ser que o Benfica foi dominador do início ao fim e que o Boavista criou apenas uma ocasião de golo.

Anúncio Publicitário

Gostaria de deixar algumas breves notas: críticas a Jorge Jesus agora não, por favor. Começo a ficar cansado de ouvir comentários por parte de benfiquistas que ao mínimo deslize apontam todas as falhas de cinco épocas. Não. Óbvio que não vamos ganhar todos os jogos (quem me dera!). Óbvio que por vezes a noite corre mal e as coisas não acabam como queremos, mas a vida é mesmo assim. O nosso papel é estar lá. Sempre. Volto a repetir, sempre. Ainda para mais quando temos seis pontos (agora nove) de vantagem para os que depois de nós vêm. Depois, sublinhar a óptima exibição de Lima, depois de uma semana difícil. Trabalhador e goleador. A defesa do Benfica continua impecável, falham cada vez menos! Maxi com uma exibição do tamanho do mundo. Samaris cada vez melhor, qualquer dia já entende aquilo que o Jesus lhe diz. Para Jonas não vou dizer nada, o meu curto dicionário não encontrou palavras para descrever o que este homem faz em campo: é mais que magia, muito mais que genial, vou-me ficar pelo silêncio. Não podia terminar este texto sem um forte abraço para o Júlio César: guardião dos guardiões, peço que essa lesão não seja mais do que um susto e que na próxima semana já estejas connosco outra vez. Prometo que me arrepiei quando o vi agarrado à coxa, este homem não se devia lesionar nunca, aquela segurança não tem preço!

A Figura:

Maxi Pereira – o uruguaio foi incansável no jogo de hoje. Esteve presente em quase todos os momentos ofensivos dos encarnados e estampou uma exibição excelente com um golo e uma assistência. Quando vejo este homem a jogar de águia ao peito juro que fico tranquilo e sereno. Ele é dos nossos, e esses ninguém nos pode tirar!

O Fora-de-jogo:

Lesão de Júlio César – o brasileiro ficou agarrado à coxa e teve de ser substituído após se ter lesionado num pique. Aguardarei com ansiedade novidades referentes à possível lesão, só espero que seja apenas um susto. Nós não merecemos, ele muito menos!

PS: decidi não colocar o Boavista como “Fora-de-jogo” apenas porque, apesar da exibição pobre dos axadrezados, considero que este Benfica a jogar na Luz é simplesmente impossível de contrariar. Assim, considero que a falta de argumentos do Boavista está directamente relacionada com a força do líder do campeonato.

Foto de Capa: Facebook do SL Benfica

Comentários