Topo Sul

Tudo simples, fácil e sereno no reino da Luz esta noite. A goleada encarnada no jogo de hoje, a contar para a segunda jornada da fase de grupos da Taça da Liga, frente ao Arouca, é o sinal mais inequívoco da superioridade que o Benfica demonstrou esta noite no relvado da Luz.

O onze esboçado por Jorge Jesus sofreu várias alterações face ao do jogo do fim-de-semana. Como expectável, vários jogadores menos utilizados do plantel tiveram a oportunidade de se estrearem como titulares esta época, procurando mostrar-se ao seu treinador. Silvio, Sulejmani, Gonçalo Guedes e Rui Fonte foram as principais novidades na formação encarnada, que desde o primeiro minuto de jogo sempre se sentiu muito confortável e descontraída em campo.  A controlar a posse de bola e a entrar com relativa facilidade no último terço do adversário, o Benfica começou cedo a construir a vantagem na partida. Ao minuto 30, o estreante Rui Fonte cavou uma grande penalidade que Pizzi não desperdiçou. Depois de uma excelente jogada colectiva do ataque encarnado, Fonte foi derrubado pelo lateral arouquense Tomas Dabo quando se preparava para marcar. O defesa foi expulso, e o Benfica assumia vantagem no marcador e no número de jogadores em campo. Tudo facilitado.

A partir daqui, o Benfica acentuou o controlo do jogo e era uma questão de tempo até que surgisse o segundo golo das águias. Não foi, por isso, com nenhuma surpresa que a Luz festejou o 2-0 de Cristante, antes do intervalo. Muita posse de bola e facilidade em encontrar espaços livres do lado encarnado foram as notas a registar de uma primeira parte em que só se jogou no meio campo do Arouca, tal a supremacia das águias na partida.

Pizzi, o homem do jogo Fonte: Facebook Benfica
Pizzi, o homem do jogo
Fonte: Facebook Oficial do Sport Lisboa e Benfica

O segundo tempo chegou com a vitória praticamente assegurada pelo Benfica. Com mais um homem e uma vantagem de dois golos, as águias entraram em campo a voar a um ritmo tranquilo, e o Arouca com a noção de que precisaria de um milagre para pontuar na Luz, esta noite. E assim se desenrolou a segunda parte de um jogo pouco entusiasmante para os pouquíssimos adeptos que estiveram na catedral encarnada. Apesar de se perceber que se tivesse acelerado mais o Benfica poderia ter aplicado uma goleada histórica à formação do Arouca, os encarnados ainda alargaram o marcador com os golos de Salvio e Jonas, aos minutos 83 e 84, respectivamente, após duas boas combinações ofensivas pinceladas com a qualidade técnica de Pizzi, o melhor em campo neste jogo.

Contas feitas, um ponto na última jornada de grupo contra o Moreirense é suficiente para o Benfica seguir para as meias-finais da Taça da Liga. Apestar de esta ser a prova menos prestigiante do panorama nacional, é também uma das duas em que os encarnados ainda estão envolvidos nesta temporada, pelo que a necessidade de revalidar o troféu tem obrigatoriamente de aumentar.

A Figura:

Pizzi – Apesar de todo o espaço de que dispôs para jogar a bel-prazer, o médio português mostrou-se confiante e espevitado na partida. Assumiu o jogo sem problemas, marcou, assistiu e mostrou-se, mais uma vez, como alternativa a Enzo Perez. Pelo menos, nos jogos menos exigentes defensivamente.

O Fora-de-jogo:

Arouca – É certo que jogar na Luz, ainda por cima com menos um jogador praticamente todo o jogo, é sempre tarefa complicada, mas esperava-se mais de uma equipa que jogou com os habituais titulares e raramente passou do seu meio campo defensivo.

Comentários