Não pode ficar para outro dia? | Benfica x Moreirense

    Benfica
    Primeira Liga, 29.ª jornada: domingo, 14 de abril de 2024, 20h30.

    A ANTEVISÃO: O HISTÓRICO RECENTE NÃO DEIXA DÚVIDAS – OBSTÁCULO INCONVENIENTE NA PREPARAÇÃO PARA O TUDO OU NADA EUROPEU

    É quase uma pedra no sapato. O Benfica, depois de ver o Sporting a resolver o jogo de Barcelos em 15 minutos, só se pode agarrar à matemática para aspirar ao título; quando olha para baixo, vê um FC Porto a nove pontos, ainda a ter de receber Sporting e ir a Braga; e daqui a quatro dias, terá o importante compromisso uefeiro, a complicada batalha em Marselha que pode ditará o tom do resto da temporada: o ligeiro entusiasmo pela possibilidade de estar numas meias-finais dez anos depois ou a depressão total, compromentendo ainda mais a relação entre treinador e massa adepta. E a recepção ao irreverente Moreirense 2023-24, que requer muita atenção e disciplina para evitar mais um escândalo, não vem na melhor altura.

    Schmidt nem sequer se dignou a antever o confronto da 29.ª ronda, justificando-se com a acumulação competitiva, como já fez noutras fases da temporada. E avisou desde logo, no rescaldo da vitória contra o Marselha, ser precisa muita esperteza na gestão de esforço dos habituais titulares para este jogo. Parece evidente que, se a Liga tivesse seguido o exemplo da Ligue 1, de adiar os jogos internos às equipas ainda a competir na UEFA, o Benfica seria o primeiro a pular de alegria. A recepção ao Marselha correu bem até aos 67’, quando Aubameyang reduziu – a equipa, com o choque psicológico, assumiu definitivamente a fraqueza física. Numa fase em que seria lógico ir à procura do 3-1, a equipa resignou-se com a magra vantagem – provocando a vaia monumental logo depois do último apito, desvalorizada pelo treinador, mas sintomática da repulsa generalizada pelos seus métodos invulgares no que toca às substituições.

    Contra o Moreirense, só Fredrik Aursnes não poderá jogar. Deverá respirar de alívio o norueguês, já que é o mais utilizado da equipa e acumula até agora 4226 minutos – em jeito de comparação, Viktor Gyokeres, o mais utilizado no mais que provável próximo campeão nacional,  conta… 3462. Uff! Uma das pistas que permite um melhor entendimento quanto à renúncia de Fredrik aos compromissos da sua selecção.

    Em relação à possível rotação benfiquista, Rui Borges não dá azo a qualquer sentimento de relaxamento: «Roger Schmidt tem soluções que correspondem à grandeza do clube, por isso não olho para o Benfica independentemente de quem joga» porque, independemente desse factor, «o foco está sempre na nossa equipa, dentro da observação que fazemos, vamos perceber os pontos mais fortes e menos fortes. Sabemos que do outro lado há jogadores que fazem a diferença na decisão e qualquer erro pode sair-nos caro.»

    É um homem preparado para qualquer eventualidade. A sorte está do seu lado, porque dúvidas só em relação à condição de Madson e baixas confirmadas só Sylla e Hernâni Infande – satisfeito o técnico de 50 anos por, pelo menos, poder contar com o seu onze base. Ismael e Castro, titulares frente ao Estrela, devem voltar ao banco de suplentes, já que Ofori e Alanzinho voltam de castigo.

    O árbitro é Hélder Carvalho, da associação de Santarém. 

    10 DADOS RÁPIDOS

    1. Será o 50.º jogo da temporada benfiquista, e até agora foram marcados 99 golos – a média não é nada famosa e temos de recuar até à fatídica 2017-18 para encontrar pior (93 golos em 47 jogos, 1,97 por jogo).
    2. Em 33 jogos contra os de Moreira de Cónegos, 23 vitórias e oito empates – apesar da superioridade, quatro dos empates aconteceram… nos últimos 5 jogos! E três empates nos últimos três.
    3. As únicas vitórias moreirenses: o 1-3 na Luz, no princípio de 2018-19, e a meia-final da Taça da Liga 2016-17.
    4. Os comandados de Rui Borges contam apenas uma vitória nos últimos cinco encontros, um 1-0 caseiro impingido ao Arouca, os concorrentes pelo sexto posto da tabela.
    5. Esse foi o único golo marcado no período, registo triste só atenuado pelas circunstâncias – visitou-se o Dragão, a Pedreira, o Dom Afonso Henriques e o Bessa.
    6. Moreirenses contam 43 pontos, os de Arouca 40 – e é uma luta muito particular, a única dos dois conjuntos, isolados numa ilha pontual: porque o 5º posto é o Vitória, com 56 pontos, e o 8º é o Famalicão, por enquanto, que conta 34.
    7. Contra Grandes, o melhor conseguido por Rui Borges foi um empate (o 0-0 contra o Benfica) – quatro derrotas nos quatro jogos com FC Porto e Sporting.
    8. O Benfica ainda não perdeu em casa para as competições internas, e em 14 jornadas de campeonato conta 12 vitórias, com seis golos sofridos apenas.
    9. Hélder Carvalho é o senhor do apito e foi bem escolhido. Porquê? Porque nunca nenhum dos intervenientes perdeu sob a sua jurisdição.
    10. O Benfica tem duas vitórias em dois jogos, o Moreirense duas em três – só falhou o empate a zero frente aos Bs do FC Porto na época passada.

    JOGADORES A TER EM CONTA

    Tiago Gouveia, João Neves e David Neres celebram um golo do Benfica
    Fonte: Luís Batista Ferreira/Bola na Rede

    Tiago Gouveia – Há precisamente um mês, mostrou-se a bom nível quando completou 90 minutos num 3-1 ao Estoril, jogo que antecedeu a viagem até Glasgow – se aí se justificou, Gouveia deve repetir a titularidade antes doutra decisiva viagem europeia, de modo a dar a Rafa e Dí Maria o descanso que raramente têm. Até porque tem aproveitado bem as sérias oportunidades – leia-se, quando começa de início: dois golos e uma assistência nas últimas duas ocasiões em que completou ou fez perto de noventa minutos.

    Alanzinho no jogo entre o Moreirense e o Sporting.
    Fonte: Filipe Oliveira/Bola na Rede

    AlanzinhoFoi uma das figuras da última vitória moreirense e tem sido um dos destaques da época, essencial no 4-2-3-1 de Rui Borges: jogando atrás do ponta de lança, não é um transportador como Rafa Silva, antes um armador que rege todo o futebol da equipa – Franco, apesar de talentoso e fazer o seu papel em caso de ausência (como no 2-2 contra o Estrela), é um todo o terreno; e Ofori, como número seis, prioriza a destruição. Alan é competentíssimo no seu papel de responsável pelo departamento da criatividade, e é dos melhores da Liga a empregá-la de forma a facilitar a eficácia dos colegas. Internacional sub17 e sub20 pela Canarinha, o ex-Palmeiras é dos mais utilizados da equipa, a par do guarda-redes e de Franco (29 presenças), contando quatro golos e cinco assistências, que o tornam o mais produtivo da equipa em contribuições para golo – a par de André Luís, o goleador que saiu em Janeiro para a China e para o qual ainda não se encontrou substituto sério.

    XI´s PROVÁVEIS

    Benfica: Trubin; Spencer, Tomás Araújo, Morato e Carreras; João Mário e Kökcu; Rollheiser, Gouveia e Neres; Arthur Cabral

    Treinador: Roger Schmidt

    «Acho que no Domingo temos de ser inteligentes, relativamente aos jogadores que jogam, mas acho que para ficar no ritmo é sempre uma vantagem. Depois do jogo da próxima quinta-feira vamos ver se foi uma vantagem ou não. Estamos em boa forma e vamos estar prontos na segunda mão».

    Moreirense: Kewin; Fabiano, Ponck, Maracás e Frimpong; Ofori, Gonçalo Franco e Alanzinho; Camacho, Kodisang e Mingotti

    Treinador: Rui Borges

    «Espero um Benfica forte, que não tem margem para perder pontos na luta pelo título com o Sporting. Temos de ser um Moreirense audaz, comprometido e rigoroso nos comportamentos individuais. Mantivemos a identidade seja contra equipas do meio para baixo da tabela ou contra adversários que lutam pelo título».

    PREVISÃO DE RESULTADO: Benfica 1-0 Moreirense

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Gonçalo Paciência tem acordo para rumar ao México

    O futuro de Gonçalo Paciência pode passar pelo México....

    Clube da Serie A entra na corrida por Vangelis Pavlidis, alvo do Benfica

    Vangelis Pavlidis está a suscitar a cobiça do Bolonha....

    Bayern Munique ‘perde’ reforço para o RB Leipzig

    O Bayern Munique queria contratar Assan Ouédraogo, jogador do...
    Pedro Cantoneiro
    Pedro Cantoneirohttp://www.bolanarede.pt
    Adepto da discussão futebolística pós-refeição e da cultura de esplanada, o Benfica como pano de fundo e a opinião de que o futebol é a arte suprema.