Anterior1 de 3Próximo

Para este primeiro jogo na Taça de Portugal, Bruno Lage optou por reeditar a dupla Gabriel/Samaris, lançar a dupla ofensiva RDT/Vinícius e também por dar a titularidade a Caio Lucas. Já Jorge Casquilha, com uma equipa muito limitada, optou por reconhecer a superioridade encarnada. Assim, abdicou da tentação de ganhar o meio-campo e lançou uma equipa a actuar com 5 defesas, de forma a tentar anular os dois pontas de lança do SL Benfica.

A primeira parte trouxe-nos um jogo muito morno. Sem se exibir a grande nível, o SL Benfica foi sempre estando por cima com maior dominio de bola, maior capacidade de pressão e melhor gestão dos tempos de jogo. O CD Cova da Piedade foi uma equipa mais expectante e apostada em ferir a defesa encarnada através de arrancadas pelas alas dos seus extremos – Vitinho e Femi Balogun.

Durante o primeiro tempo foi só mesmo através destes dois jogadores que a equipa da casa conseguiu ir criando alguns sustos mas sem nunca ser capaz de chegar com a bola dominada a zonas de finalização. Já o SL Benfica, sem forçar muito, foi encontrando espaços para finalizar e testar os reflexos do guardião Tony Batista.

As maiores oportunidades estiveram nos pés de Pizzi e Vinícius que só com o guarda-redes pela frente não conseguiram finalizar. Contudo, já ao cair do pano, num lance individual do transmontano apoiado em tabelinha pelo brasileiro, o SL Benfica conseguiu adiantar-se no marcador. Golo do Pizzi e assistência do Vinícius.

No jogo do SL Benfica foi de destacar a tentativa tanto do Caio Lucas como do Pizzi em procurar o espaço interior de forma a tentar criar ligações entre o meio-campo e o ataque encarnado.

O jogo foi para intervalo com um Benfica superior mas pouco brilhante e com um 0-1 tímido mas que colocava alguma justiça no marcador.

O segundo tempo arrancou praticamente com o segundo golo encarnado – também segundo golo do Pizzi. Uma recarga à entrada da área ao minuto 48 pôs fim a esta eliminatória da Taça de Portugal. Nem deu para perceber as intenções de Jorge Casquilha ao lançar ao intervalo Gustavo para o lugar do Balogun.

O CD Cova da Piedade tentou reagir com o lançamento do médio Diarra para o lugar do Massaia, desfazendo assim o trio de centrais e reforçando o meio-campo. Mas o estrago já estava feito. E não demorou para que também Vinícius fizesse o gosto ao pé.

O segundo tempo arrancou praticamente com o segundo golo encarnado
Fonte: SL Benfica

Esses últimos 45 minutos foram de total controlo do SL Benfica. Posse de bola, pressão sobre o adversário, criação de oportunidades. A equipa da casa nada mais conseguiu oferecer ao jogo até ao apito final.

Com o lançamento de Florentino e Gedson no jogo, Bruno Lage garantiu que o adversário não teria nem bola nem espaço para tentar surpreender. Destaco o posicionamento do Grimaldo que trouxe uma criatividade diferente ao ataque encarnado. É que o lateral esquerdo neste segundo tempo não só subiu mais como frequentemente se colocou na posição de 10, tanto a dar linha de passe como a abrir espaços para os atacantes.

Aos 90+1 ainda deu tempo para o Carlos Vinícius bisar e fechar o resultado num 0-4.

Vitória justíssima onde o Sport Lisboa e Benfica comprovou não ter de se superar para dominar este Clube Desportivo da Cova da Piedade.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

CD Cova da Pierdade: Tony Batista, Oto’o , Marcão, Allef, Massaia (B.Diarra 56′), Chico Chen, Marakis, André Carvalhas Balogun (Gustavo Souza 45′), Vitinho e Yuhao Liu (Edinho 62′).

SL Benfica:  Zlobin, Tomás Tavares, Jardel, Ferro, Grimaldo, Samaris (Florentino 70′), Gabriel, Pizzi (Cervi 74′), Caio Lucas (Gedson 64′), Raul de Tomas e Vinícius.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários