Anúncio Publicitário

A CRÓNICA: NUM JOGO PAUTADO POR APATIA E FALTA DE QUALIDADE, O SAMBA DE EVERTON GARANTIU OS TRÊS PONTOS PARA O BENFICA

Em jogo a contar para a oitava jornada da Primeira Liga, os encarnados entravam em campo sabendo que FC Porto, SC Braga e Sporting CP tinham vencido os seus jogos, pelo que mais um deslize significaria o abandono do pódio. Do outro lado, o CS Marítimo procurava a sua primeira vitória nos últimos quatro jogos, de modo a fugir à zona de despromoção.

O encontro começou com o SL Benfica a querer assumir as despesas do jogo, a pressionar a turma maritimista que mostrava muita dificuldade para sair do seu meio campo. No entanto, a primeira oportunidade clara de golo surgiu para a equipa da casa. Aos sete minutos de jogo, após um passe transviado de Pizzi, Rodrigo Pinho recuperou a bola e rematou, em arco, para o lado direito de Vlachodimos. A bola passou ao lado da baliza, mas o aviso estava dado.

Anúncio Publicitário

O Benfica respondeu logo de seguida por Everton, que disferiu um belíssimo remate em jeito ao ângulo esquerdo da baliza de Charles. O esférico ainda bateu no travessão antes de sair. Os encarnados estavam bem no jogo, a controlar os homens de Vidigal e a criar algumas situações de perigo, até que o inevitável acontece: Otamendi volta a assistir um jogador adversário.

Após um alívio do CS Marítimo, Otamendi, ao tentar atrasar a bola para Vlachodimos, fez um passe fraco, que foi facilmente intercetado por Rodrigo Pinho que, na cara do grego, colocou os homens da casa na frente do marcador aos 13 minutos de jogo.

Após o golo, o Marítimo baixou ainda mais as linhas, dando ao Benfica a posse da bola. Os encarnados carregaram, e aos 32 minutos é restabelecida a igualdade no marcador. Everton combina com Grimaldo, que depois encontra Pizzi no coração da área.

Até ao final da primeira parte, destaque para o minuto 43, numa jogada em que Everton isolou Rafa com um passe excecional. O português ficou na cara de Charles, mas o remate é intercetado por Rene. A igualdade permanecia ao intervalo, num jogo de sentido único.

A segunda parte começou a todo gás, com as águias a conseguirem a reviravolta no marcador após cinco minutos de jogo. Seferovic descobriu Everton na esquina esquerda da grande área, que cortou para dentro e rematou rasteiro para o canto esquerdo de Charles.

Após o golo, o CS Marítimo desmontou o autocarro e partiu para cima dos encarnados. Os homens da capital sentiram algumas dificuldades, especialmente a sair na primeira fase de construção, fruto da pressão maritimista, mas o resultado não iria sofrer mais alterações até ao fim.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Everton – Um dos mais inconformados – e dos mais comprometidos, a nível defensivo – ao longo da partida, Everton hoje voltou a mostrar o porquê do Benfica ter investido 20 milhões pelo seu passe. Foi, a par de Pizzi e Rafa, o grande dinamizador do jogo ofensivo encarnado, sendo o golo a cereja no topo do bolo.

O FORA DE JOGO

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Otamendi – Mais um jogo, mais um erro gravíssimo. Em suma, mais um jogo de Otamendi. Já não há palavras para descrever as performances do argentino, que teima em expor a equipa com os seus erros infantis.

 

ANÁLISE TÁTICA – CS MARÍTIMO

Lito Vidigal montou um 5-2-3, na expetativa de jogar no erro dos encarnados. A estratégia quase que resultou, fruto de alguns erros individuais na defensiva das “águias”, mas acabou por sucumbir face fluxo de jogo ofensivo do Benfica.

Na segunda parte, após o golo sofrido, a equipa subiu linhas e passou para um 4-4-2, de modo a forçar o erro encarnado. Nota também para o anti-jogo promovido pelo treinador angolano. É ridículo uma equipa de primeira divisão utilizar este tipo de estratégias desde o apito inicial. É um comportamento que em nada dignifica o desporto rei e, consequentemente, o futebol português.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Charles (5)

C. Winck (5)

Lucas (4)

Rene (6)

L. Andrade (5)

Marcelo Hermes (5)

P. Pelágio (5)

Jean (6)

Rúben Macedo (5)

Rodrigo Pinho (6)

Joel (5)

SUBS UTILIZADOS

Correa (5)

Milson (5)

Alipour (-)

Cleber (-)

Guitane (-)

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Os encarnados apresentaram-se no seu tradicional 4-4-2. Os homens de Jorge Jesus continuam a apresentar muitas dificuldades em criar jogo pelo lado direito, muito por culpa da falta de qualidade gritante que Gilberto tem vindo a demonstrar.

Como tal, as “águias” movimentam muito do seu jogo para o lado esquerdo, onde Grimaldo e Everton estiveram em destaque. Pede-se mais ao técnico português, que tem de começar a ponderar melhor as suas escolhas de modo a melhorar o nível de futebol da equipa.

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Vlachodimos (5)

Gilberto (4)

Otamendi (3)

Vertonghen (5)

Grimaldo (6)

Rafa (6)

Pizzi (7)

Gabriel (6)

Everton (7)

Waldschmidt (4)

Seferovic (5)

SUBS UTILIZADOS

Gonçalo Ramos (5)

Samaris (5)

Diogo Gonçalves (5)

Jardel (-)

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome