A CRÓNICA: ENCARNADOS PERDEM NA MADEIRA E PODEM FICAR A SEIS PONTOS DO TÍTULO

Bruno Lage mudou meia equipa para o jogo contra o CS Marítimo, face a castigos e a lesões: Chiquinho, Samaris e Cervi foram titulares, enquanto que Rúben Dias, Gabriel e Rafa (no banco) ficaram de fora.

O jogo começou com um domínio do SL Benfica, com mais posse de bola no meio-campo ofensivo, cerca de 65% aos quinze minutos de jogo. Nos primeiros momentos de jogo, assumiu-se aquele que viria a ser uma das principais estrelas do jogo: Amir Abedzadeh, o guarda-redes do Marítimo. No primeiro quarto de hora, o jogador iraniano fez duas grandes defesas a remates de Chiquinho, aos dois e aos cinco minutos.

O ímpeto inicial do Benfica foi desaparecendo e, ainda que os números de posse de bola se tenham mantido, as ocasiões de golo até final da primeira parte foram quase nulas. Em sentido contrário encontrou-se a equipa da casa que, em contra-ataque, tentou criar perigo à equipa ‘encarnada’ muito por culpa de Nanu. Aos 23 minutos, o lateral da Guiné-Bissau arrancou pela direita e à entrada da área passou para Rodrigo Pinho, que finalizou para dentro da baliza, ainda que fosse, mais tarde, anulado por fora-de-jogo. O destaque da jogada vai para a jogada individual de Nanu e para a grande passividade da linha média do Benfica.

Anúncio Publicitário

O empate manteve-se até ao início da segunda parte, assim como as duas equipas. Os últimos 45 minutos começaram como se iniciou o jogo: dois remates nos primeiros cinco minutos. Ainda assim, nenhum destas ocasiões apresenta grande perigo e Bruno Lage decidiu tirar Carlos Vínicius e Samaris para colocar Rafa e Seferovic dentro das quatro linhas.

Como seria expectável – e a precisar de ganhar, o Benfica manteve-se no ataque e depois de um cruzamento de André Almeida, Seferovic cabeceia ligeiramente, mas a bola sai muito ao lado da baliza ‘insular’. Aos 73 minutos, o treinador ‘encarnado’ decidiu fazer mais duas alterações e apostar em Zivkovic e Dyego Sousa para os lugares de Pizzi e Cervi.

No entanto, o primeiro ‘tiro no porta-aviões’ veio um minuto depois, quando Nanu fez uma grande jogada, deixou meia equipa do Benfica para trás e cruzou para o segundo poste onde estava Correa, que encosta para o golo. Esperava-se uma reação das ‘águias’, mas o que se sucedeu foi mais um golo do Marítimo: nova arrancada do lateral africano e nova assistência, desta vez para Rodrigo Pinho que fez o 2-0 para a equipa insular. Até ao apito final, Amir voltou a evidenciar-se numa excecional defesa a cabeceamento de Dyego Sousa, mas o resultado manteve-se em 2-0.

Com esta derrota, o Benfica pode ficar a seis pontos do FC Porto, caso os ‘dragões’ vençam frente ao FC Paços de Ferreira. No final do jogo, Luís Filipe Vieira disse, em conferência de imprensa, que Bruno Lage pôs o lugar à disposição e que haverá uma decisão nas próximas horas.

A FIGURA

Fonte: CS Marítimo

Amir Abedzadeh – O prémio teve dois candidatos muito fortes: Amir e Nanu. Ainda que o lateral tenha feito duas assistências e uma grande exibição, a primeira barreira que o Benfica encontrou foi na baliza e tem o nome de Amir. O guardião iraniano fez sete defesas, sendo que seis destas foram a remates dentro da área. A exibição começou a construir-se nos primeiros minutos, devido a duas grandes defesas após remates de Chiquinho, e manteve-se até ao fim, quando fez uma defesa ao ângulo após cabeceamento de Dyego Sousa.

O FORA DE JOGO

Fonte: Liga Portugal

SL Benfica – Mais uma derrota para a equipa de Bruno Lage e possivelmente seis pontos para o FC Porto. Uma exibição que prometia ser melhor que as últimas depois dos primeiros quinze minutos da primeira parte, mas que, lentamente, foi perdendo o ‘fôlego’ e acabou com mais uma derrota. Vlachodimos pouco ou nada fez durante o jogo, a defesa esteve (novamente) fora de si e, juntamente com o meio-campo, demonstrou a enorme passividade aquando das arrancadas de Nanu. Além disto, o ataque ficou em branco e nenhum dos três avançados criou grande perigo durante os 90 minutos (exceção feita ao remate de Dyego Sousa perto do fim).

ANÁLISE TÁTICA – CS MARÍTIMO

Montada num 4-1-4-1, a equipa de José Gomes fez o que lhe competia: fechou-se na defesa e, em contra-ataque, tentou ‘magoar’ a equipa do Benfica. E conseguiu na perfeição. É verdade que durante grande parte do jogo limitou-se a defender, mas Amir segurou o empate e Nanu tratou de ganhar o jogo. Através das arrancadas do lateral e das finalizações de Correa e Rodrigo Pinho, o Marítimo ganhou um jogo bastante importante na luta para a manutenção.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

 Amir – 2

Fábio China – 2

Kerkez – 2

Zainadine Junior – 2

Nanu – 3

Rene – 3

Edgar Costa – 1

Pedro Pelágio – 2

Vukovic – 2

Correa – 2

Rodrigo Pinho – 4 

SUBS UTILIZADOS

Getterson – 2

Joel Tagueu – 1

Diego Moreno – 1

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Bruno Lage manteve o seu sistema tático habitual, um 4-4-2 com Chiquinho atrás de Vinícius. Ainda que tenha mudado metade da equipa face ao último jogo, a qualidade exibicional manteve-se. Linha defensiva subida, algumas ocasiões de golo defendidas por Amir, mas apenas nos primeiros momentos de cada parte. Depois dos primeiros quinze/vinte minutos de cada parte, a equipa voltava a ‘assombrar-se’ pelas exibições passadas e, consequentemente, a perder o respetivo jogo.

Maior parte das jogadas dos ‘encarnados’ vieram de cruzamentos de ambas as alas, mas falta um finalizador na área que encoste para golo (algo que Vinicius conseguiu frente ao Santa Clara nos dois jogos). Com esta derrota, o Benfica tem duas vitórias em treze jogos e pode ficar a seis pontos do primeiro lugar.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Vlachodimos – 2

André Almeida – 2

Jardel – 2

Ferro – 2

Nuno Tavares – 3

Samaris – 3

Weigl – 3

Pizzi – 2

Cervi – 3

Chiquinho – 2

Carlos Vinícius1

SUBS UTILIZADOS

Seferovic  – 2

Rafa Silva  – 2

Zivkovic – 1

Dyego Sousa – 1

Jota – 1

Artigo revisto por Joana Mendes