sl benfica cabeçalho 1

Há muito que se fala da importância da formação do Benfica e trago hoje uma análise pessoal aos jogadores que estão mais próximos de dar o tão desejado salto para o plantel principal. Desde de caras de “desceram” para os relvados da segunda liga a jogadores que chegaram agora ao penúltimo degrau a oferta é muita e pode, num futuro próximo, ser escolha de Rui Vitória.

Pedro Amaral, o corredor esquerdo. É isso mesmo, Pedro Amaral é senhor dono do corredor esquerdo da equipa. O defesa esquerdo tem sido uma das peças mais importantes da equipa da formação encarnada e mostrado trabalho defensivamente e não só. As suas características ofensivas são de agrado de uma equipa que há muito tempo aposta em defesas esquerdos com futebol para jogar em toda a ala. Numa altura em que Grimaldo muitas vezes está lesionado, Eliseu já faz notar os números da idade, Pedro Amaral deve lutar com Yuri Ribeiro por um lugar na equipa A na próxima época.

Willock, o sonhador. Willock chegou ao Benfica no último mercado e admitiu, desde cedo, que deixou o Arsenal para conseguir implementar-se no plantel principal de um clube de semelhantes dimensões. No plantel principal apenas jogou na pré-época e tem sido na equipa B que vai dando uso às suas pernas. Com pés para jogar em ambas as alas o inglês não deve estar muito satisfeito em jogar na equipa B mas a verdade é que está a praticar bom futebol e a surpreender o técnico.

João Félix, o novo Bernardo Silva. Novo Bernardo Silva pela posição que ocupa ser a mesma do reforço do City e por ser agora o menino querido da equipa B. Com apenas 18 anos já se estreou na seleção nacional sub-17. No Benfica está a ser vitima dos demasiados jogos e serve a equipa B e os juniores que estão inseridos na Liga dos Campeões para “os mais novos”. Caso sério e certamente com os olhos postos no plantel principal da Luz.

Anúncio Publicitário

José Gomes, de Arouca para o Seixal. Foi em Arouca, na época passada, que Zé Gomes foi abençoado com o número de lesionados do plantel encarnado. Foi ali, no distrito de Aveiro, onde o ponta-de-lança estreou-se pela equipa A. Desde então, tem sido na equipa B que procura mostrar o seu futebol e a tentar voltar às escolhas de Rui Vitória. Nas seleções também é escolha da formação e está, aos poucos, a na equipa B é já uma opção quase obrigatória para entrar em campo de início.

Alex Pinto, oh tão desperdiçado. Alex Pinto tem apenas 19 anos e é um dos jogadores mais utilizados pela equipa B do Benfica. Internacional pelos Sub-20 e já estreante na primeira liga ao serviço do Vitória de Guimarães, Alex Pinto é uma boa alternativa às poucas opções que temos para o lado direito da defesa. O português tem características ofensivas e uma melhor regularidade do que muitos jogadores laterais direitos da primeira liga. Rui Vitória, olha aqui um novo Semedo!

Os jovens da equipa B esperam por uma oportunidade Fonte: SL Benfica
Os jovens da equipa B esperam por uma oportunidade
Fonte: SL Benfica

João Carvalho, procura clube. Procura clube porque merece jogar, merece mostrar futebol, mostrar o futebol que tanto alegrou na época passada os sadinos. O distribuidor de jogo não é opção para Rui Vitória e nem na equipa B consegue implantar-se no 11. Precisa de jogar, seja vendido ou emprestado. Precisa de jogar, pois jogadores como João Carvalho não merecem estar parados, no banco.

Heriberto Tavares, o ala que a equipa B não quer soltar. É normal que não queira, os números falam por si e o jovem jogador é o terceiro melhor marcador da segunda liga e, tal com Zé Gomes, uma peça demasiada importante para a equipa B. Hélder Cristóvão deposita muitas esperanças no extremo português e não será de estranhar se for o próximo a dar o salto para o balneário da equipa A.

Gedson Fernandes, de São Tomé para o Seixal. Extremo e muitas caraterísticas de 10, o jogador de 18 anos tem vindo a mostrar trabalho na equipa B e a dar uma perninha nos juniores. Este ano fixou-se na equipa B e os seus 11 jogos mostraram que é um nome importante para Hélder Cristóvão.

Rúben Dias e Diogo Gonçalves não foram referidos pois os minutos na equipa A levam-me a uma quase certeza, fixaram-se na equipa A. Podem dar algumas perninhas na equipa B mas a cabeça está nos treinos com os seniores e no calendário da equipa principal. A equipa B tem muito boas pérolas mas é necessário gerir, detalhadamente, o salto para a equipa principal. Uma estreia antecipada, sem necessidade, ou a manutenção da equipa da formação quando a cabeça e as pernas desejam outros voos, pode não ser o melhor a acontecer às duas equipas e ao próprio jogador.

A formação é um dossier bastante importante para esta estrutura e já se viu muitas coisas boas a acontecer e tantas outras que não eram nada do desejo dos protagonistas (Oh Bernardo, só queria te ver na Luz).

Foto de Capa: SL Benfica