Excelentíssimos membros da Direção e da Sociedade Anónima Desportiva,

Numa fase em que chegamos à reta final de mais uma época desportiva, é imperativo, na minha modesta opinião, começar a fazer um balanço sobre o desempenho do SL Benfica na presente temporada.

No momento em que escrevo esta carta, constato que perdemos os sete pontos de vantagem que tínhamos para o segundo classificado, FC Porto, tendo os mesmos assumido a liderança do campeonato após um mês de fevereiro completamente inenarrável para um clube com a dimensão do Benfica.

Gostaria de saber como é que é possível que um clube que respira uma saúde financeira invejável tenha preparado a época da maneira que preparou, sendo que o fruto dessa gestão é agora visível para todos os benfiquistas. Foi mais uma época vergonhosa a nível europeu, mais uma época a ser eliminados da Taça da Liga, podemos ter hipotecado o campeonato no mês de fevereiro e, para variar, lá conseguimos chegar à final da Taça de Portugal.

Anúncio Publicitário
O plantel apresenta lacunas graves, especialmente no setor defensivo
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

No entanto, preocupa-me o facto de que a Direção apenas se preocupe com os resultados financeiros e que use os mesmos para se defender das críticas relativas à má gestão desportiva. Os craques vão saindo e os responsáveis teimam em não reforçar a equipa nas zonas em que esta fica mais desfalcada.

O plantel apresenta inúmeras lacunas, especialmente no setor defensivo, sendo o caso mais flagrante o dossiê sobre a lateral direita. Desde a saída de Nélson Semedo, em 2017, que o Benfica não comprou nenhum jogador para assumir o lado direito da defesa encarnada, sendo que os jogadores que por lá têm passado são atletas que já se encontravam no clube – e que não cumprem os requisitos para serem indiscutíveis num XI titular de uma equipa como o Benfica.

Termino esta carta com um simples pedido, excelentíssimos membros da Direção: deixem de gerir o Benfica como se de uma empresa se tratasse e comecem a focar-se na conquista de títulos, pois é isso que alimenta um clube de futebol e os seus adeptos.

Porque, no fim de contas, meus caros, de que valem os milhões, se não formos campeões?

Cumprimentos,

Um sócio preocupado.

Artigo revisto por Diogo Teixeira